Isa Buzzi lança “Vem Correr Atrás”, single inspirado em história própria

Isa Buzzi acabou de lançar seu mais novo single, intitulado de “Vem Correr Atrás”, com um estilo pop urbano, já estando disponível em todas as plataformas digitais. A artista que entrou na aula de canto com 7 anos para tentar tirar a timidez, desde então se apaixonou pela música e iniciou também em aulas de violão, teclado e na sequencia também se aventurou no piano clássico, no Observatório de Piano Clássico.

Olá, tudo bem? Você lançou tem poucos dias a música “Vem Correr Atrás” e essa canção é inspirada numa história própria. Conte aos leitores um pouco sobre o que é essa melodia.

Isa: “Vem correr atrás” é inspirada em uma história que realmente aconteceu na minha vida, uma desilusão amorosa que virou melodia. Após conhecer uma pessoa que acreditava ser especial, acabei me apaixonando. Por conta da distância não conseguia ver essa pessoa e as coisas foram esfriando, até que um dia ele sumiu da minha vida. Tomada pela angústia decidi colocar tudo no papel, e a música que já tinha um início acabou ganhando um refrão, uma decepção amorosa que agora pode servir de inspiração e empoderamento a quem a ouve.

Como tem sido a aceitação do público com o single?

Isa: Tem sido incrível, tenho recebido diversas mensagens de pessoas se identificando com a letra, pessoas dizendo que passaram pela mesma situação. Os números crescem cada dia mais e estou extremamente grata a cada um que ouviu a música.

Para quem não a conhece ainda, nos conte um pouco sobre quem é Isa Buzzi.

Isa: Acho que se pudesse contar um pouco sobre mim, diria que sou extremamente apaixonada por música, escolhi o que faço, pois amo muito tudo isso. Desde os 7 anos de idade, sempre tive uma certeza muito grande que minha missão aqui é cantar e compor. Sou extremamente grata a minha profissão e mais grata ainda ao público que me acompanha.

Você iniciou em 2018 um canal no YouTube postando covers, mas acabou descobrindo paixão pela composição. Qual a importância para você sobre compor?

Isa: Pra mim, a importância de escrever é poder passar pras pessoas exatamente quem sou. Poder contar histórias, poder despertar dentro delas o mesmo sentimento que existe dentro de mim, e assim poder conectar o meu público a minha essência.

Além de “Vem Correr Atrás”, existe algum plano para os próximos meses?

Isa: Existe sim. Estou bem animada com os projetos novos, a meta pro ano que vem é manter uma constância de lançamentos a partir de janeiro, ganhar cada vez mais espaço no âmbito pop nacional, e principalmente, estou na torcida pra essa situação passar e poder voltar aos palcos.

Deixe uma mensagem.

Isa: Queria agradecer pela nossa entrevista, agradecer a minha equipe, familiares, e principalmente a todos que acompanham meu trabalho. Estou extremamente grata com o lançamento de “Vem correr atrás” e espero de coração que vocês também gostem dessa música que foi feita com tanto carinho.

Sr.Apache lança novo single com pegada Indie Pop e R&B

Em um som Indie Pop e R&B, Sr.Apache, acaba de lançar “High” que conta com um clipe e está disponível em todas as plataformas de streaming pelo selo Latino Americano, Kind Music. O grupo é formado por Arthur Covales, Caio Bataglia, Gabriel Poiani e Lucas Henrique desde 2016.

A canção foi gravada inteiramente no home studio do guitarrista Arthur, apresentando uma estética funk e soul, com uma linha de baixo ao melhor estilo Tame Impala, junta de guitarras com wah-wah. “High” tem como enredo a ambiguidade do personagem principal, que traça um paralelo entre uma fuga policial e seu relacionamento amoroso, misturando na letra as duas situações. Ao longo da música o ouvinte passa a entender cada vez mais a história, desenrolando aos poucos conforme a música acontece. O single também chega com um formato visual inédito para a banda. Em um clipe feito inteiramente em animação, os integrantes são transportados para um mundo cartoon psicodélico, visual que busca transmitir a sensação ao escutar a música.

Em 2018 a banda lançou seu primeiro EP, “Furta-Cor”, gravado de forma minimalista e direta. O EP é conhecido por ser o ponto de partida de algo que viria a se expandir no futuro do quarteto. Em 2019 lançou seu novo single acompanhado do clipe, “Noites”. O single marcou uma mudança na forma de compor do grupo, apresentando uma sonoridade muito mais dançante e que mistura elementos eletrônicos com os já tradicionais. Ainda em 2019 a banda apresentou mais três singles: “Noventaenove”, “Tentei Te Esquecer” e “Rosé”, sendo os dois últimos parte do segundo EP do grupo que viria a ser lançado neste ano.

Em 2020 a banda apresentou seu segundo EP: “CORPO MENTE TRANSE”. Composto de cinco músicas, o EP apresenta uma mudança na história da banda. A mistura de estilos se tornou o principal diferencial do grupo, que ao mesmo tempo apresenta baterias digitais e 808s com guitarras distorcidas e camadas de vozes melódicas. O trabalho serve para concretizar uma nova linguagem que havia sendo desenvolvida desde “Noites”, apresentando ao público um trabalho coeso e resolvido em relação às novas propostas do grupo.

Conheça a banda Incêndio que acaba de lançar single de contraste melancólico e visceral

A banda Incêndio acaba de lançar seu mais novo trabalho “Novas Sensações”. Contando com um clipe, o mesmo sofre influências do filme Avatar, Rituais com medicinas Xamânicas e até o clipe Bang do cantor Tiago Iorc. A temática do vídeo introduz o relacionamento de um casal de forma artística e visceral, tudo ilustrado apenas com as emoções dos dois, boas e ruins. A narrativa da letra composta com as cenas do casal trazem outro sentido a música.

Olá, tudo bem? Vocês acabam de lançar a música “Novas Sensações”, que conta com um clipe incrível e uma pegada post-hardcore. Conte aos leitores um pouco sobre o que é essa melodia?

Guilherme: Salve Andrezza, tudo certo. Quando estávamos começando a escrever os sons novos, quis trazer pro ouvinte algo que ele pudesse interagir. “Experimente a sensação ao respirar e inspirar novas sensações”, faz com que ele prenda a atenção no que to dizendo.

A letra mescla um quê sexual com um bem estar da mente saca ? O ápice de estar bem consigo mesmo, ou com quem está contigo. Assistindo o clipe você entende isso logo de cara.

Sobre o subgênero do rock que fazemos, não nos enfaixamos com nada, mas seria uma variação do metalcore/hardcore, com mais passagens melódicas e vocal limpo. 

Como tem sido a aceitação do público para o single?

Guilherme: A aceitação tá massa demais, muita gente compartilhando. Não estamos dando conta de compartilhar todo mundo, afinal o lançamento foi ontem. Para segundo dia, que é quando estou falando contigo, está muito bem, vamos acompanhar os próximos dias que são cruciais aí pro lançamento.

Para quem não conhece a banda Incêndio, nos fale um pouco sobre vocês.

Guilherme: Somos uma banda de Rock/Hardcore/Metal e nada disso ao mesmo tempo. Temos uma energia foda no palco, nem vou economizar elogio pro nosso show pra parecer humilde tá? A gente é foda mesmo (risos). Isso somado a um monte de mensagem positiva pra tatuar no corpo.

A gente rala pra caralho, faz troca de show, trás uma pá de banda legal pra Indaiatuba, nossa cidade, e acaba conhecendo vários picos fora também por causa dessas parcerias. Ano passado fizemos uma turnê de 42 shows durante o ano, tudo na base da amizade. No mais, pra quem vai ler a entrevista. Curte um rock pesado ? Um Emo choroso? Metal com breakdown? Cola, cê vai curtir. E quando tiver show na sua cidade encosta também, tenho certeza que será maior festa.

Além de “Novas Sensações”, existe algum plano para este final de ano? Nossas produções, lives?

Guilherme: Temos sim, agora que o Pedro (@pedroviana.7) está na banda, temos a facilidade de lançar mais conteúdo em menos tempo, porque ele trabalha como produtor musical. Já tem Novas Sensações versão acústica também. Ops, spoiler! Daqui até dezembro, gostaria muito que lancemos pelo menos um som novo.

Quais são as maiores inspirações da banda ? 

Guilherme: Cara, vou citar meus amigos e bandas Br que considero como inspiração pro que a gente tá fazendo: Black Days, Emmercia, Pense, Cefa, Bullet Bane e Hutal (aqui de Indaiatuba, escuta esses caras). E a gente adora um Bring me the Horizon, vou citar essa pra poderem falar que a gente paga pau pra gringo. 


E as metas a longo prazo?

Guilherme: Vender o máximo de camisetas que a gente conseguir serve ? (risos) Brincadeira, mais ou menos, temos nossa marca de roupas que sempre está atrelada aos lançamentos e campanhas da banda, queremos que essa marca cresça, e possa financiar ainda mais e melhor nossos trabalhos futuros!

Queremos lançar clipe até na lua miga, o céu é o limite pra nós. Agora se a pergunta era pra ter resposta como “data de um ep”, isso a gente já não tem previsão, e na real estamos bem com isso. Vamos lançar som a som por hora, até descobrir essa nova personalidade musical que estamos desenvolvendo.

Deixe uma mensagem.

Guilherme: Gratidão demais pelo convite pra essa entrevista, adorei poder falar um pouco mais do nosso trabalho e desta fase que está começando. Pra quem curtiu a entrevista, sugiro que siga @incendioficial no Instagram e ouça “Novas Sensações” na sua plataforma favorita. Beijos.

Naiá Camargo retrata a busca da sua própria essência em single

Naiá Camargo é uma cantora contemporânea. Sua miscigenação cultural, sua paixão pela arte e sua energia forte e visceral trazem uma nova bossa a canções já conhecidas do público. Nascida em São Paulo, a brasileira com sangue Guarani, Alemão e Africano transita pela cena musical desde a juventude. Começou a estudar música aos 16 anos, na Oficina Teca Alencar, e se apaixonou pelo canto erudito. Logo depois, foi morar na Inglaterra, quando aperfeiçoou seus estudos no canto, piano e Saxofone.

De volta ao Brasil, retomou os estudos na área com as professoras Raquel Barcha, seguida por Anita Dixler e a Annick Dubois. Esta experiência possibilitou que ele pudesse trabalhar com a técnica e postura erudita para se iniciar no canto popular. Com a veia artística sempre pulsante, a cantora também se formou em Artes Cênicas pelo TUCA, enquanto simultaneamente concluía a faculdade de Economia.

Olá, Naiá, tudo bem? Primeiramente, nos conte um pouco quem é Naiá Camargo?

Naiá: Oi, tudo bem graças a Deus, espero que com vocês também. Sou uma pessoa normal, comum, com uma mulherada dentro de mim. Tem muitas mulheres dentro da Naiá e venho descobrindo cada uma delas com muita integridade. Sou uma pessoa que atuo na minha vida pessoal e profissional de acordo com meus princípios, então sou muito integra. E venho descobrindo cada uma dessas mulheres com muita intensidade, sou muito intensa.

Tudo que faço é com muita intensidade, muita verdade, buscando ser uma pessoa cada vez melhor. Acredito que somos resultado da nossa própria busca. A paz, a luz, tudo isso é uma busca diária. Humildemente tento buscar minha melhora todos os dias.

Como nasceu o amor pela música?

Naiá: A música é um tipo de expressão que o ser humano tem, dentre outras expressões. Todo ser humano é capaz de tocar, cantar, dançar, atuar, descobri tudo isso desde pequena. Como toda criança, estamos sempre brincando, cantando, dançando, e sempre senti que cantar era uma coisa muito fácil, muito natural, até intuitivo. Sempre fui uma pessoa com muito ritmo, muito afinada e não só eu percebia isso, mas as pessoas também, me elogiando. Acabei desenvolvendo melhor isso.

Mas a hora que fiquei apaixonada mesmo pela música foi em alguns momentos, me lembro de alguns, eu era bem pequena. Lembro que escutava muito Michael Jackson, e sentia que a música me levava para um outro lugar. Que não era algo realmente só da terra (risos). Uma conexão divina!

Costumo dizer que sou cantora porque esse é o meu chamado, não é uma coisa só profissional, é espiritual, algo mais forte que eu. Uma vez me falaram ‘Ah Naiá, você tem vergonha de cantar?’. E falei que não tenho vergonha, nem é nesse lugar da pessoa Naiá, é um chamado mesmo, uma missão de vida.

Então, quando era pequena, comecei a cantar desde sempre e dai escutando algumas músicas, uma delas, do Michael Jackson, Thriller e entre outras. Eu amava Michael Jackson, dançava e cantava, sentia também que a música me levava para outro lugar. Acabei casando com a música e até hoje estou muito feliz.

Você lançou o single “Onde Eu Tô?”, que retrata a busca da sua própria essência. Como tem sido a aceitação do público? Podemos esperar novos singles ainda este ano?

Naiá: Lancei “Onde Eu Tô?”, esse single lindo, essa música linda, que fala de muitas mulheres, muito de mim, de muitas pessoas, em busca da sua própria essência, você falou certíssimo. Acredito que você entendeu aquilo que eu entendi da música, porque cada um tem sua interpretação, mas é a viagem interna e externa.

A aceitação do público está sendo muito maravilhosa, o pessoal está gostando muito dessa música. As pessoas estão se identificando com a música, com a letra. E ela é uma música dançante, gostosa, ela é um bom cenário para o dia. Você pode escutá-la no carro, caminhando, ela é um bom cenário para sua mente.

E com certeza terão outras esse ano, agora estou dedicada a lançar musicas inéditas, autorais e co-autorais. Teremos novas músicas e estou muito feliz com esse processo de fazer canções junto com os compositores. Tem gente que é muito talentosa para escrever, muito mais do que eu. E fazemos assim um arranjo de… quase uma música por encomenda, muitas frases, muitas palavras, muitas ideias minhas, e a pessoa da uma forma mais musical, fonográfica para essas ideias que tenho tido.

A quarentena foi e tem sido muito difícil para todo mundo. Como tem sido para você não poder estar nos palcos?

Naiá: A quarentena para mim tem sido muito importante, muito especial essa viagem interna, essa busca incessante pela evolução, progresso, conhecimento. Agora tem sido muito mais intensa, a gente consigo mesmo. É muito difícil para todo mundo, muito difícil para mim que sou uma pessoa extremamente libriana. Sou capricorniana, mas tenho uma coisa de libra muito forte. Então, gosto de estar em conjunto, em coletivo, gosto de almoço todo mundo junto, gosto de rituais coletivos.

Mas tem sido muito importante, porque estou nesse momento de produção criativa muito fervoroso, muito frutífero. Estou aproveitando desse jeito, estou conseguindo produzir na quarentena, me conectar com todas as ideias. E transformar essas ideias, essas esperanças em música. O problema não é o problema, é o que a gente faz do problema, não é isso? O que estou fazendo do problema? Estou fazendo essa limonada que está saindo muito saborosa e muito cheirosa.

Quais são os planos para depois da quarentena?

Naiá: Para depois da quarentena, está aí uma coisa que aprendemos, a não fazer muitos planos. Acompanhamos pela mídia que tal dia ia abrir o mercado, daí não abre, tal dia ia ter a volta de não sei o que e não teve. Os astrólogos estão dizendo que o mundo vai voltar a dita normalidade à partir de abril do ano que vem. Vamos ver!

Mas uma coisa que tenho certeza que vou fazer depois da quarentena é me conectar fisicamente com as pessoas, depois que tiver uma vacina e não tiver mais risco de contaminação. Quero abraçar as pessoas, beijar as pessoas, viajar fisicamente também, porque o artista é muito alimentado por memórias, por lembranças e sou muito sensorial. Por mais que eu leia, escute, preciso sentir, tocar, precisa doer, precisa ser bom fisicamente.

Quero viajar fisicamente, que já estou viajando bastante com essas músicas todas, mas quero estar próxima das pessoas que amo. A vida nos dar uma família, umas pessoas que viram família na nossa família espiritual e eu quero estar próxima.

Deixe uma mensagem.

Naiá: Então pessoal, o que deixo para vocês é para que acompanhe a Naiá Camargo Oficial nas redes (Instagram, YouTube, Facebook, entre outros). Vou trazer algumas novidades daqui até o final do ano que vem, vou vir trazendo músicas novas, inéditas, gostosas, que estão sendo feitas com muito amor, muito prazer. E é para dar um sabor muito gostoso para a vida de vocês.

Espero que vocês curtam, aguardo o feedback de vocês. Estamos todos sempre muito conectados. Beijão!

PazQim lança novo clipe

Durante o dia ele é um executivo em uma instituição bancária, mas a grande paixão de Bruno PazQim é a música. O rapper que é figura conhecida no meio das rimas lança novo clipe “Cuba Libre”.
 
“Quando estou trabalhando no banco não penso em ser mais um colaborador na equipe. Eu procuro ajudar as pessoas e dar meu melhor enquanto estou naquele ambiente, mas assim que eu saio, eu só penso em música”, conta o rapper.
 
Sua música é um sinal de alerta contra o preconceito e faz críticas as desigualdades sociais do nosso país. Em 2018, ficou conhecido por sua canção “Choram Marias e Clarices”, em que faz sonoras críticas ao então candidato à presidência Jair Bolsonaro e agora se prepara para dar os próximos passos em sua carreira.
 
Com a pandemia do novo coronavírus, PazQim viu sua música alcançar mais pessoas que, além de compartilharem da sua opinião política, apreciam o rap e o seu trabalho. Também teve a chance de compor e produzir muito durante a quarentena, e isso pode ser visto em seu novo clipe.
 
“Na minha opinião a pandemia destacou bastante o descaso do Governo. Estou vivo, compondo mais do que nunca e um dos frutos desse período é o meu novo clipe ‘Cuba Libre’, um trabalho muito legal desde o início”, comenta PazQim.
 
“Cuba Libre” está disponível em seu canal oficial no Youtube, assim como nas principais plataformas digitais.

Triage 013 retrata determinação em single de estreia

A Triage 013 acaba de divulgar o single Meu Progresso. A faixa mistura rap, trap e reggae enquanto marca a estreia do grupo vicentino. Na letra, a banda exalta a importância da determinação em prol da realização de objetivos e sonhos. 

A música tem produção de Hostil e antecipa o álbum O Meu Progresso – previsto para a segunda quinzena de setembro. O videoclipe tem direção de Toni Ramos e obteve sessões de filmagem entre a Zona Noroeste de Santos, São Paulo.

O quarteto está em atividade desde 2018 e é formado pelos irmãos Leo Hit e Ric’san e seus respectivos filhos: Dii Moraes e Young Mike. Assim, todos dividem as linhas vocais enquanto inspiram-se em nomes como Rashid e Emicida.  

Para Leo Hit, Meu Progresso é uma música sobre garra. “É essencial batalhar e encarar as dificuldades de frente. Só assim conseguimos alcançar todas as nossas metas. Essa é a ideologia do nosso som. Gostamos de falar do cotidiano enquanto frisamos os nossos sentimentos”, destaca.

CNCO surpreende seus fãs com a estreia de seu novo single “BESO”

Depois de meses em quarentena, e uma provocação para seus fãs nas últimas semanas de um áudio de 14 segundos de uma música, a premiada boy band multiplatina da América Latina, CNCO surpreende seus fãs com o lançamento antecipado de seu novo single “Beso”.

Além disso, o CNCO faz a estreia mundial de “Beso” neste domingo (30), no MTV VMA’s 2020, onde o grupo sobe ao palco principal em um show de premiação americana pela primeira vez. Voltando ao show depois do ano passado, onde se apresentaram no icônico pré-show, o grupo está concorrendo a 3 prêmios, incluindo “Melhor Grupo”, “Melhor Performance em Quarentena” e “Melhor Coreografia” por seu último single “Honey Boo.” 

Dando continuidade à novo projeto, Hungria Hip Hop lança clipe de “Pisando na Lua”

O rapper Hungria surpreendeu mais uma vez, e lançou no último dia 21 de agosto o projeto “Cheiro do Mato”, composto por cinco canções em versão acústica, coisa inédita na carreira dele. “Pisando na Lua”, segundo vídeo disponibilizado pelo cantor, tem letra de autoria própria em parceria com Luan Padal, e foi escrita durante a pandemia.

“Cheiro do Mato”, é um projeto onde Hungria colocou ainda mais sentimento em suas canções. Aproveitando o momento de reflexão, ele se refugiou em meio à natureza, e aproveitou para compor e produzir novas canções, gravadas em apenas um dia.

Desde o dia 21 de agosto, estão disponíveis em todas as plataformas de streaming o  EP completo. O clipe de “Amor e Fé”, também já está disponível no YouTube, e para as próximas semanas os clipes de “Hoje ela já chorou” (04 de setembro), “Super Herói” (11 de setembro) e uma nova roupagem do sucesso “Um Pedido” (18 de setembro).