Tempo de Leitura: 4 Minutos

Entrevista! Recentemente a cantora curitibana Mohani lançou seu primeiro EP “Pela Tela Do Celular” nas principais plataformas digitais. O EP conta com 5 faixas dentre elas: Te Esperei, Diz Encontro, Amor De Tantos Cortes, Em Paz e, o single exclusivo, Sem Rota.

Com um nome simbólico, “Pela Tela Do Celular” resume bem todo o conceito apresentado nas faixas do EP: um amor vivenciado no meio digital, e toda suas inseguranças e liquidez. Segundo a própria cantora, retrata bem ‘um amor de quarentena’.

A produção musical do EP foi feita por Leomaristi Dos Santos, músico conhecido por acompanhar os artistas Tiago Iorc e atualmente o duo Anavitoria, e teve como inspiração cantores como Amy Winehouse, John Mayer e Coldplay,  misturando um pouco da Nova MPB com o Folk.

Olá, tudo bem? Você lançou a poucos dias o EP “Pela Tela do Celular”. Como foi o processo de produção do mesmo?

Mohani: Todo processo durou em média um ano, 2019 inteiro. Produzimos faixa por faixa, o que permitiu um mergulho mais profundo dentro de cada universo. Foi algo muito intenso, lembro de ficar ansiosa para escutar o EP como um todo uma vez que as músicas ficaram pronta aos poucos.

Para quem não conhece, quem é a curitibana Mohani?

Mohani: Apenas uma menina que canta sobre suas vivências e sentimentos sobre o mundo, para mais corações se identificarem por aí.

Como tem sido a aprovação do público referente ao EP ?

Mohani: Fiquei muito feliz com a receptividade do público. Como foi meu primeiro lançamento com compilado de músicas, senti que foi meu contato mais próximo com público e completo sobre quem eu sou, e saber que está fazendo sentido para mais pessoas e ganhando infinitos significados na vida de quem escuta, é gratificante.

Existe alguma razão específica para o nome ser “Pela Tela do Celular”?

Mohani: O nome do EP surgiu enquanto escutava uma das faixas do mesmo chamada “Te Esperei”, o primeiro verso da música se inicia “Te esperei pela tela do celular…” e como todas as músicas surgiram através de um amor contemporâneo vivenciado através do meio digital, senti que sintetiza perfeitamente todo conceito, ainda mais em tempos de quarentena onde a única forma de contato está sendo no mundo online.

Como é ter Leomaristi dos Santos como produtor desse seu primeiro EP?

Mohani: Incrível! Ele é uma pessoa extremamente tranquila, o que possibilita tudo ser mais leve, e com toda sua bagagem musical, ele consegue captar perfeitamente a ideia e cenário para cada canção. Sempre damos muitas risadas nas gravações e conversamos sobre a vida.

O EP conta com as faixas “Te Esperei”, “Diz Encontro”, “Amor de Tantos Cortes”, “Em paz” e “Sem Rota”. Qual é o significa para você de cada uma dessas canções?

Mohani: Te Esperei carrega uma importância enorme para mim, arrisco em dizer que é uma das minhas composições favoritas. Retrata sobre todo aquele anseio de ser correspondido por alguém, esperar aquela mensagem sabe? E como mesmo assim podemos aproveitar a beleza do agora, as luzes da cidade, o momento de uma forma mais leve. Acho importante verbalizar os nossos sentimentos e essa música nasceu assim, como uma forma de expressar o que estava passando pelo meu coração.

Diz Encontro retrata o peso de admitir o fim de um relacionamento, que acabou, e que aquelas duas pessoas que uma vez o acaso juntou, agora estão em caminhos diferentes e se desencontraram. É uma canção sobre despedida. Apesar da música retratar sobre desencontros, foi um encontro muito especial escrever e cantar em conjunto com meu amigo e parceiro de estrada Everton Vieira.

Amor De Tantos Cortes é uma das faixas mais intensas do EP, ao contrário de Diz Encontro fala sobre você se sentir conectado com alguém em um laço tão forte que nem mesmo a distância ou os desencontros são capazes de romper. É sobre alguém que é lar e um amor que transcende tudo até mesmo a mágoa. Tenho enorme carinho foi minha composição da vida.

Em Paz vem como uma música para trazer leveza ao EP, vem para mostrar que o amor também pode ser algo bom se você se permitir sentir e se entregar sem medo de pensar no depois, vivendo um dia de cada vez. Sobre a razão desconhecer o sentido do amor, uma vez que não dá pra ser racional quando se trata de sentimentos. Sobre a possibilidade de uma paixão leve, porém intensa e como é possível ambas caminharem   juntas.

Sem Rota surgiu em meio a uma crise existencial minha em tempos de vestibular, aquela dúvida sobre qual caminho seguir, quem eu sou, sexualidade…essas coisas. Sobre não ter um mapa nem bússola indicando qual melhor caminho e a única forma de se encontrar é ao longo que você se permite viver.

Deixe uma mensagem.

Mohani: A mensagem que quero passar com esse EP é como no mundo digital tudo se torna algo tão intangível que às vezes nos esquecemos que atrás de cada número, nome de usuário, foto, existe uma pessoa atrás do celular que tem sentimentos reais e sua própria história.  E acho que desmistificar essa história que paixões do mundo online não podem causar efeitos reais no mundo offline, pode sim, inclusive, é possível construir algo real. Mundo online, offline está tudo interligado e tá tudo bem você sentir demais, ser intenso, o massa é se jogar na vida e se permitir sentir tudo.

Autor

Share.

Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: