Tempo de Leitura: 5 Minutos

Para quem busca aventuras e cenários de tirar o fôlego, o Canal das Trilhas, no YouTube, apresentado pelo belo-horizontino Raphael Panicalli, é a dica certeira. Ele traz vídeos gravados em lugares paradisíacos, como trilhas isoladas, cachoeiras e pontos turísticos. A bordo de sua Kombi, batizada carinhosamente como Clotilde, ele percorre as estradas brasileiras em busca de locais interessantes para a produção dos conteúdos.

Quem acessa o Canal das Trilhas pode assistir desde vídeos que mostram as belas cachoeiras mineiras, até conteúdos radicais, como um salto de paraquedas. Confira a entrevista:

De todas as cachoeiras que já esteve, qual foi a que mais te surpreendeu positivamente?

Com toda certeza foi a maior de minas, a Cachoeira do Tabuleiro, em Conceição do Mato Dentro, que é uma cidade que fica a cerca de 175 km de Belo Horizonte. Com os seus 273 metros de altura, eu fiquei impressionado com a sua beleza e imponência.  Só tenho elogios para aquele lugar. O poço é gigante e muito fundo, ideal para que gosta de nadar. A trilha é paradisíaca e, antes de chegar na cachoeira, temos o privilégio de nadar em vários poços pelo caminho.

Você mostra uma rotina de descobertas e adrenalina. Qual foi a situação que mais sentiu frio na barriga?

Eu senti o coração bater mais forte na Travessia dos Marins Itaguaré, na Serra da Mantiqueira. É um lugar mágico, mas muito perigoso. Fizemos ela sem guia e sem gps, pegamos temperaturas baixas, tivemos escassez de água e muita subida para complicar ainda mais nosso percurso. Me lembro bem que não fomos bem agasalhados e logo que a noite caiu tivemos que usar nossas habilidades para passar a noite bem e não congelar. Essa travessia está entre as mais clássicas expedições de trekking do montanhismo brasileiro, entre São Paulo e Minas Gerais. Ela percorre toda a crista montanhosa que existe entre o Pico dos Marins e o Pico do Itaguaré, e é conhecida por suas escalaminhadas e desescalaminhadas.

Com o avanço da Internet, o YouTube vem sendo agraciado cada vez mais com novos tipos de conteúdo, e os esportes de aventura não ficam de longe. Como foi que nasceu a ideia de promoverem a atividade através dos documentários em vídeo?

Amamos as trilhas e sempre gostei de conhecer novos lugares. Depois passei a postar as minhas andanças e os amigos começaram incentivar a criação de um canal. A ideia começou aí, depois começaram a aparecer apoiadores, como a SOS Elevadores, que é um amigo incentivador, e hoje estamos desbravando ainda mais esse mundo do trekking.

Uma das coisas mais curiosas que observo nessa temática esportiva é justamente a personificação de seus elementos, como por exemplo a kombi que vocês usam em seus vídeos. Como chegaram à ideia da Clotilde, e quais foram suas inspirações para criar esse ambiente entre vocês?

Particularmente, eu adoro a Kombi. Ela tem o seu charme e eu adoro dirigir o carro. E como estamos viajando muito, pensamos em ter mais conforto em nossas viagens, dormir em nossas próprias camas, fazer nossa própria comida e nosso próprio café. E claro, ser a nosso ponto de apoio para as produções de conteúdos. A Clotilde chegou e aos poucos está sendo adaptada para a nossa necessidade. Hoje ela já faz parte da nossa família e nos leva para todos os cantos.  

Praticante nato de trilhas, você afirmou que consegue hoje a partir de seus vídeos, passar as mesmas energias que anda praticando desde sempre. Poderia nos contar um pouco mais de como foi sendo criada a sua relação com os caminhos da natureza?

Quando eu tinha 15 anos de idade,  minha turma ia muito à região de Nova Lima, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte com muitas possibilidades de contato com a natureza. Íamos acampar, conhecer riachos, cachoeiras e trilhas. Logo me  apaixonei por todo este universo! Outro lugar que ajudou muito a despertar esse gosto em mim foi a Serra do Curral, que fica dentro capital mineira. Eu ia sempre lá. Por incrível que pareça, é a trilha próxima e que ainda não fizemos para o canal. Vamos gravar em breve para que todo mundo conheça o nosso “Belo Horizonte”.

Como considera que tem sido a recepção do seu público com o conteúdo do canal?

Eu estou muito feliz pela repercussão e pela forma com que o público tem recebido os nossos vídeos. Sabemos que fazer um canal crescer no YouTube não é fácil, mas sem pressa e com muito prazer e aventuras, estamos conquistando o nosso espaço. A  galera ama a natureza e a busca por trilhas e cachoeiras é cada vez maior, o que acaba nos ajudando.

Apesar de tantos lugares incríveis na qual já tenha passado, existe algum ambiente que tenha em mente conhecer, mas ainda não teve a oportunidade?

Quero conhecer neste ano ainda Ibitipoca e Milho Verde. Já tenho o mapa dessa viagem na cabeça. A ideia era já gravar em Milho Verde neste fim de semana, mas como existe a previsão de chuva, optei por adiar.

Qual foi a melhor experiência que você já teve nesses anos de aventura?

A Travessia Lapinha – Tabuleiro foi inesquecível. Em meio ao cerrado, passamos por lugares com muitos cristais e muita água , cruzamos pequenas fazendas , percorremos 39 km em dois dias  até sair no topo da cachoeira mais alta de Minas Gerais. Esse cenário marcou muito a minha vida e se hoje se eu fosse escolher um local para morar seria em Tabuleiro, que tem mais de 200 cachoeiras na região.


Autor

Share.

Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: