Tempo de Leitura: 3 Minutos

Não importa se é sua primeira gestação ou não, cada bebê que está para nascer traz esse misto de felicidade, amor, mas também muitas dúvidas, medos e inquietações; seja pela preocupação da saúde do feto ou com o momento do parto.

Quando acontece o parto prematuro, também chamado de pré-termo, que nada mais é do que o nascimento precoce do bebê, ou seja, antes da trigésima sétima semana de gestação, os riscos aumentam consideravelmente, inclusive, sendo este, o maior responsável pela mortalidade infantil, principalmente entre bebês nascidos antes da trigésima segunda semana.

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o nosso país está na décima posição entre as nações onde são registrados mais casos de prematuridade. A própria Unicef e o Ministério da Saúde apontam que no Brasil, por volta de 11,7% dos partos são prematuros – esclarece o Dr. Alexandre Plaza, Médico especialista em diagnóstico por imagem, com atuação exclusiva em Ultrassonografia.

Bebês que nascem prematuros tiveram o seu desenvolvimento natural, uterino, interrompido. Quando sobrevivem, passam por semanas e até meses internados na unidade de terapia intensiva neonatal para continuar o crescimento e desenvolvimento. No entanto, as sequelas podem surgir ao longo da vida. Entre elas temos:

  • Problemas respiratórios
  • Perda de Audição
  • Problemas visuais como a retinopatia da prematuridade
  • Problemas digestivos
  • Deficiência intelectual
  • Paralisia cerebral

Quais as causas? O que pode levar ao parto prematuro?

Por mais que uma gestação aconteça de forma saudável, isso ainda não impede um parto prematuro. No entanto, existem fatores de risco, são eles:

  • Gestão de gêmeos, trigêmeos ou mais
  • Problemas com o colo do útero
  • Certas infecções no período da gestação
  • Doenças crônicas da mãe; diabetes, pressão arterial elevada e outras
  • Consumo de álcool, cigarro e drogas durante a gestação
  • Quando já houve o parto prematuro em uma gestação anterior o risco é aumentado

Geralmente o trabalho de parto prematuro começa de repente mas pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Sintomas como náusea, vômito ou diarreia
  • Cólicas no abdome ou cólicas parecidas às menstruais
  • Vazamento de fluido da vagina
  • Dor nas costas, na região lombar
  • Contrações frequentes, a cada dez minutos

Dr. Alexandre Plaza, chama atenção para a importância da gestante levar uma vida saudável, sem uso de cigarros, álcool e drogas, incluir suplementação de folato e vitaminas pré natais em sua alimentação, bem como controlar a pressão arterial e a diabetes e realizar todos os exames de ultrassonografia solicitados pelo seu médico.

Com as ultrassonografias realizadas periodicamente durante a gestação,  podemos identificar se há algum problema anatômico, seja no tamanho, na forma ou na textura das estruturas dos órgãos, ou mesmo de alguma doença, além de acompanhar o bem estar do bebê durante toda a  gestação. E é um procedimento indispensável para identificar um risco maior de nascimento prematuro a medida e avaliação do colo uterino que poderá ser feita principalmente por ultrassonografia transvaginal junto com a ultrassonografia Morfológica do segundo trimestre – concluiu o Dr. Alexandre Plaza.

CRÉDITOS:

Dr. Alexandre Plaza é Médico, especialista em diagnóstico por imagem, com atuação exclusiva em Ultrassonografia (Habilitado em Ultrassonografia Geral, Ultrassonografia ginecológica e Obstetrícia, Doppler Geral e Periférico), pelo Colégio Brasileiro de Radiologia, Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.  

É proprietário da Ultrassonografia Dr. Alexandre Plaza, em Itaboraí. O Dr Alexandre Plaza atende na cidade de Itaboraí-Rj

www.ultraplazaitaborai.com.br

Instagram: @ultradralexandreplaza

Autor

Share.

Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: