Como funciona a cirurgia que promete o ‘tanquinho’?

Conhecida como lipo LAD, a Lipoaspiração de Alta Definição (LAD) é uma técnica que aspira a gordura localizada de determinada parte do corpo com mais precisão, levando em conta o biótipo dos pacientes. Ela tem esse nome porque promove uma definição maior do contorno dos músculos na pele, diferentemente da lipoaspiração convencional.

A cirurgia já conquistou muitas personalidades que estão aproveitando a quarentena para se submeter ao procedimento que promete abdômen trincado e corpo definido. A cantora Ludmilla e sua esposa, a dançarina Bruna Gonçalves, agitaram a internet ao mostrarem o resultado do procedimento em suas redes sociais. Mais recentemente, a ex-BBB Flayslane e a influencer Virgínia Fonseca também compartilharam com seus seguidores seus novos ‘tanquinhos’.

 Apesar de virar a nova ‘febre’ entre as celebridades, a lipo LAD chegou no Brasil em 2015 e vem se tornando popular entre as pessoas com estilo de vida atlético. Segundo o cirurgião plástico doutor Pedro Lozano este tipo de cirurgia é recomendada para quem quer definir melhor a musculatura, pois ela aspira a gordura e realiza o contorno de determinada área com precisão. “O objetivo da lipo LAD, ou Lipo HD é dar uma aparência tonificada na região lipoaspirada, independentemente de onde for realizada a cirurgia, pois ao retirar o tecido gorduroso de maneira mais intensa, a pele se aproxima mais da musculatura e proporciona a definição daquela região”, comenta o especialista e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Como é um procedimento que retira volumes de gordura reduzidos, a cirurgia tem uma duração menor que a lipo convencional – entre uma a três horas – possibilitando ao paciente uma recuperação anestésica mais rápida. A cirurgia é realizada com anestesia local, peridural ou geral e o cirurgião plástico faz pequenas incisões na região onde é inserida a cânula que aspira a gordura. “Realizamos marcações nas áreas de contorno muscular que se pretende realçar, aumentando assim o controle do cirurgião plástico quanto à aspiração de gordura, tornando-se uma cirurgia mais detalhada e evidenciando ainda mais os músculos”, explica Lozano.

Vale lembrar, porém, que a lipo LAD não faz parte de um processo de emagrecimento, mas sim para retirar as ‘gordurinhas’ que não foram embora com o exercício. Para pacientes com maior quantidade de gordura localizada, a lipoaspiração convencional continua sendo a mais indicada. “A lipo de Alta Definição remove a gordura mais difícil de sair, por isso o candidato à cirurgia deve estar bem próximo do peso ideal e ter uma pele com boa elasticidade, assim o resultado será um corpo com contorno mais definido e com músculos mais desenhados”, finaliza o especialista.

Atividades ao ar livre devem ser feitas longe de aglomerações

A prática de atividades físicas foi uma das questões afetadas durante o isolamento social recomendado em razão da pandemia do novo coronavírus. Academias foram fechadas e, sem poder sair, os exercícios dentro de casa foram estimulados. No entanto, nem todos se acostumaram com esse modo de se exercitar e muitos abandonaram e passaram a fazer exercícios ao ar livre. Diante dessa realidade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) editou um documento sobre como se manter ativo durante a crise sanitária, no qual recomendou passeios a pé ou de bicicleta, mas sem desrespeitar o distanciamento físico para evitar a propagação do vírus. 

É também no que acredita o educador físico, Renan Pimenta. Ele explica que mesmo em locais abertos as atividades físicas devem ser realizadas sem aglomeração e com o uso de máscaras. “O ideal é buscar pontos com menor movimento e fuja dos horários de pico, concentrados no início da manhã e da noite. Também é importante reduzir o tempo de exercícios, os órgãos de saúde recomendam no máximo 30 minutos e com uma atividade leve, pois além de evitar uma maior transpiração, preserva a imunidade”, ressalta.

Benefícios

A prática regular de atividade física é capaz de melhorar a circulação sanguínea, fortalecer o sistema imunológico, ajudar a emagrecer, diminuir o risco de doenças cardíacas, diabetes, osteoporose e fibromialgia, melhora a qualidade do sono, o humor, o condicionamento muscular e cardiorrespiratório, aumenta a auto-estima e a expectativa de vida, entre vários outros benefícios. 

O cardiologista Vinícius Marques, que possui um consultório no centro clínico do Órion Complex, em Goiânia, reforça que os exercícios regulares, realizados pelo menos três vezes na semana de 30 a 60 minutos, podem fortalecer a imunidade, importante nesse momento de pandemia. “A atividade física estimula a produção de linfócitos, que são células que combatem vírus, bactérias e células cancerígenas”, salienta. O médico explica ainda que os exercícios ajudam no bem-estar mental. “Reduz hormônios como adrenalina, noradrenalina e cortisol, que afetam a ansiedade e a autoestima podem causar depressão”, revela.

Naturopata explica quais plantas podem tornar sua vida mais saudável

Divulgação

Muitas pessoas passaram a cuidar melhor das plantas e a se interessar mais em ter um pouco de natureza no lar a partir da permanência em casa em razão do distanciamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus.

Ter uma horta em casa é algo muito prazeroso e pode até ser terapêutico, pois as plantas fazem com que o ambiente adquira uma beleza natural, tornando-o mais leve e aconchegante. Além de contribuir com a decoração, o jardim pode conter plantas que são benéficas para a saúde física e psicológica, o que promove melhorias no bem-estar da família toda.

Segundo o professor de fitoterapia na Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas/Faculdade de Medicina da USP, naturopata e acupunturista especializado em Bases de Medicina Integrativa pelo Hospital Albert Einstein e diretor da Escola Brasileira de Naturopatia, Daniel Alan Costa, as plantas filtram os poluentes presentes no ar, além de removerem gases que são tóxicos para a saúde e bem-estar. “Há muitas espécies que são indicadas como um tratamento integrativo para aumentar a imunidade e tratar problemas de saúde como dores de cabeça, estresse, doenças no sistema digestivo e também nas vias respiratórias como gripes, resfriados, bronquite e até mesmo pneumonia”, destaca.

Neste ponto, as espécies que mais se destacam e que podem ser cultivadas em casa são:

Manjericão – além de ser rico em vitaminas, também tem propriedades antibacterianas, antioxidantes, antiespasmódicas e digestivas e pode ser usado em saladas, massas, sopas e outras receitas. Também fica ótimo para aromatizar o azeite, por exemplo.

Tomilho – fácil de ser plantado, tem propriedades que ajudam o sistema respiratório, combatendo tosse e bronquite, além de melhorar infecções na boca e ouvido. Pode ser usado como chá, tempero ou com seu óleo essencial.

Lavanda – lavanda ou alfazema traz benefícios calmantes para o emocional, ajudando no combate ao estresse, ansiedade e insônia. Além disso, tem propriedades anti-inflamatórias, ajudando a melhorar peles com acne ou desidratadas, revigorando as células. Pode ser usada como óleo ou como chá dos botões.

Hortelã – muito utilizada para tratar problemas da garganta, a ingestão da mesma pode ser feita tanto em forma de chá quanto ser adicionada em canja, sopas e outros pratos refogados.

Alecrim – sua essência ajuda a estimular o cérebro e melhorar a memória, já a sua ingestão em receitas como no pão ou em chás auxilia no tratamento de dores reumáticas e contusões, no combate a problemas respiratórios, além de equilibrar a pressão arterial e reduzir o estresse.

Diversas outras espécies também podem ser utilizadas como um tratamento alternativo, como funcho doce, camomila, melissa – erva cidreira – e erva-doce. “Os recursos das plantas são muito valiosos para saúde, pois agem de forma natural no organismo humano, e raramente causam efeitos colaterais”, finaliza.

Exercício em casa: Professor lista razões para fugir dos treinos que vendem resultados milagrosos

Fazer exercício físico estimula o sistema imunológico e contribui para o foco da saúde mental. E durante a quarentena, a atividade em casa acaba sendo uma das melhores alternativas para manter o cérebro mais tranquilo, amenizando a ansiedade ou auto cobrança por produtividade.

Algo que é possível ver em pesquisas pela internet e ter cuidado com estes, é as vendas de treinos milagrosos. O Professor de Educação Física, Bruno Sapo, separou uma lista de alerta e razões para fugir desses treinamentos.

Segurança

Na ânsia de adaptar treinos com coisas que todos tenham em casa e vender o melhor treino para a quarentena, alguns exercícios foram “inventados”. Como por exemplo, fazer Barra Fixa / Pull-Up, na porta. A porta pode cair, você se machucar, ter que ir para o hospital e aumentar a probabilidade de contaminação por algo que poderia ser evitado. Todo exercício tem seu risco, uns mais, outros menos, opte pelos mais seguros principalmente no momento que estamos vivendo.

Smartphone Samsung Galaxy A10s 32GB 6.2″ 2GB RAM Câmera Traseira Dupla 13MP 2MP Azul

Tênis Nike Revolution 5 Masculino – Preto e Branco

Estética é o objetivo certo para o momento?

Estamos vivendo uma pandemia e a atividade física é sim essencial. No entanto, o objetivo para esse momento é, ou deveria ser, a melhora do sistema imunológico, a diminuição da probabilidade de sintomas mais fortes da Covid-19, o fator benéfico psicológico que a atividade física trás, entre outros. Ao ficarmos em casa nos movimentamos menos que a rotina habitual e a tendência é um ligeiro ganho de peso e/ou perda de capacidade cardio respiratória, e nisso o exercício pode ajudar. Entrar em um programa de perda de peso agora, pode causar um estresse desnecessário no sistema, trazendo assim mais malefícios do que benefícios. Priorize a sua saúde.

Quem é o profissional?

Na onda de vender a qualquer custo, muitos enganadores e enganadoras estão vendendo treinos sem ao menos serem formados em Educação Física. Procure saber quem é o profissional que você está pretendendo fazer o treino. Essa pessoa é pelo menos é formada? Um simples “google” no site do Conselho Regional de Educação Física – CREF – já minimiza possíveis imprevistos futuros. Tem formação? Ótimo! É o mínimo, consulte amigos, busque mais informações, você estará entregando o seu corpo a uma pessoa, vale pesquisar antes de confiar.

Continuidade

Emagrecimento, ganho de força, massa muscular, são resultados de um processo de mudança de hábitos e comportamentos. Não vai ser de um dia pra outro que A vai emagrecer ou B vai ficar forte. Procurar por atalhos é uma tendência geral, mas infelizmente não existem, e o desespero de ver o corpo conquistado indo embora na quarentena pode potencializar essa tendência.

Quanto maior for a mudança, sem que os hábitos mudem de verdade, maior será a probabilidade do rebote. Sabe o efeito sanfona? Exatamente. Ficou um mês comendo sopa, emagreceu tudo que podia – inclusive perdendo massa magra, o que pode ser prejudicial dependendo da quantidade -, mas depois não aguenta a rotina, volta a comer de forma a compensar o tempo perdido e volta a engordar.

Ou então, começa a fazer todos os exercícios possíveis, treina três horas por dia na primeira semana, duas horas na segunda, uma hora na terceira, na quarta quando aparece tempo no final do mês e no mês seguinte já não vai mais.

Comprovação

Grande parte dos treinos que vendem resultados milagrosos não são comprovados, e buscam apelar para a dor da maioria das pessoas.

Exemplo:

Dor: “Não tenho tempo”

Objetivo: “Emagrecer”

Essa pessoa vai comprar o produto “perca sete quilos por semana com seis minutos de treino diários”.

Sendo que, mesmo que o objetivo dessa pessoa seja o emagrecimento, seria impossível a perda de peso saudável em tão curto espaço de tempo. Além do que, quanto mais os treinos são curtos, mais intensos serão. Será mesmo que alguém que acredita que tenha sete quilos para perder por semana, treinando seis minutos, conseguiria realizar tal treino? Ou tentaria dois dias, se frustraria e iria parar mais uma vez pensando que atividade física não é para ela.

Conclusão

Tanto na quarentena, como na vida “normal” que há de voltar, tenha em mente que não existem milagres. Além do mais, nesse período de isolamento o foco deve ser ainda mais sua saúde. Não vai ser um batom que vai te emagrecer, ou um gel que vai te fazer queimar gordura. Quer resultados? Procure um(a) Profissional de Educação Física capacitado(a), siga o plano e acredite no processo.

Alimentos que ajudam e evitam a queda de cabelo

Uma das principais causas da quedas de cabelo é a alimentação | Foto: Freepik

Uma dieta balanceada e saudável é sempre bem vinda para manter a saúde dos fios, garantindo um crescimento sadio das madeixas. Consumir pouca vitamina pode levar a queda e interferir em seu aumento.

Segundo especialista, os produtos com açúcar, massas, pão branco e álcool, são totalmente prejudiciais a saúde do cabelo, por isso, devem ser evitados.

Um estudo realizado pela revista Dermatology Clinic em 2014, revelou que a ingestão de um filé de carne por dia, juntamente com dois litros de água, ajuda a manter as cutículas dos fios fechadas e prevenir o ressecamento do cabelo. De acordo com esta análise, os alimentos que podem ajudar a devolver a vida dos cabelos estão listados abaixo.

Cenoura

Possui vitaminas do complexo belo, além de A, K, C, fibras, potássio e fósforo. Esse time ajuda a manter um cabelo forte e saudável, com ação antioxidante que combate os radicais livres, evitando a queda e perca de pigmentos nos fios. Rica em betacarotenos, facilita no controle da oleosidade e brilho no cabelo, mantendo o couro cabeludo saudável e prevenindo a queda de cabelo.

Espinafre

Ajuda o corpo a receber doses importantes de ferro e vitamina C, que participam na formação dos glóbulos vermelhos e nutrem os folículos capilares. Rico em clorofila, ajuda a equilibrar a oleosidade do couro cabeludo, fortalecendo a raiz e normalizando o clico de crescimento dos fios.

Salmão

Possui magnésio e vitamina B3, essenciais para a formação das proteínas que fortalecem os fios e estimulam a circulação no couro cabeludo, aumentando a saúde dos fios. Além disso, combate inflamações, protege o couro cabeludo e melhora a chegada de nutrientes no bulbo capilar, já que contém grandes quantidades de proteína, ácido graxo, ômega 3 e selênio.

Soja

Melhora a circulação do couro cabeludo, pois é uma ótima fonte de proteínas e biotina, nutrientes importantes para o desenvolvimento do folículo piloso, que previne que o fio fique quebradiço.

Laranja

Possui vitamina C, flavonoides, betacaroteno, magnésio e fibras, que eliminam toxinas e estimulam o crescimento dos fios.

Castanha-do-pará

Auxilia no crescimento e desenvolvimento capilar, previne a oleosidade e descamação do couro cabeludo, já que possui vitamina E e zinco.

Feijão

Contém zinco, ácido fólico, fibras e fósforo, que fortalecem os fios e aumentam o suprimento de oxigênio para o couro cabeludo, estimulando o crescimento. Além disso, possui aminoácidos que quando combinados dão origem a proteínas que formam o colágeno e a queratina, que quando consumidos regularmente, protegem os fios da queda.

Alecrim

Aumenta o crescimento do cabelo, melhora a circulação e previne a queda de cabelo.

Leite

Possui vitaminas do complexo B e aminoácidos que fortalecem a fibra capilar e favorecem o depósito da queratina, deixando os fios mais encorpados e resistentes. Rico em cálcio, evita que o cabelo fique fraco e quebradiço.

Investir em uma alimentação saudável e balanceada, irá garantir fios jovens e fortes. Diversos suplementos e vitaminas são encontrados no site da Paraíso Saudável.

Dicas de Fisioterapeuta para práticas de esportes durante o frio

Fábio Akiyama explica quais são as boas práticas para realizar atividades físicas em períodos de baixa temperatura | Divulgação

Com a temperatura abaixando, a vontade de ficar debaixo do cobertor e sem praticar exercícios, pode ser grande. Ainda assim, é necessário encontrar maneiras de realizar essas atividades no dia a dia, mesmo com o frio. Além disso, é essencial lembrar que o sedentarismo causa uma série de problemas, como adaptações posturais que podem gerar encurtamentos e dores crônicas.

O fisioterapeuta especializado em postura e osteopatia, Fábio Akiyama, explica que não há contra indicação da prática de esportes durante esse período, na verdade é exatamente o contrário. A atividade física é essencial em qualquer estação do ano para manter-se ativo e saudável. “A única diferença é que com a temperatura mais baixa é importante fazer algum tipo de aquecimento ou alongamento, que permita que o sistema muscular e metabólico receba esse exercício e evite ocasionar qualquer lesão”.

Por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus, as academias estão fechadas, mas o mesmo pode ser realizado de casa mesmo. O que importa é se manter em movimento e com uma boa alimentação. Uma dica que o doutor dá é subir ou descer alguns lances de escada, que é algo de fácil acesso.

Cadeiras de apoio e garrafas podem ser usados para as atividades. O ideal é procurar um profissional para receber ajuda e entender como realizar esses movimentos sem causar dores. “Além disso, muitos canais estão disponibilizando aulas dos mais diversos esportes gratuitamente na internet”, reforça o fisioterapeuta.

Um fator que costuma ser mencionado é sobre a faixa etária para cada tipo de exercício, mas Akiyama ressalta que idade não é um fator limitador. Cada um tem necessidades específicas e isso deve ser levado em consideração acima de tudo. “Tanto jovens quanto idosos podem realizar as mesmas atividades, mas com intensidades diferentes caso necessário”, finaliza.

Tricologista desaconselha deixar de lavar os cabelos durante a pandemia

Divulgação

O distanciamento social vem provocando mudanças nos costumes das pessoas, uma delas é lavar menos os cabelos. Pesquisa feita por uma das maiores fabricantes de produtos de higiene do mundo, a Unilever, aponta que as quarentenas diminuíram em até 25% a demanda por produtos como xampu e condicionador.

A tricologista Viviane Coutinho desaconselha a medida. Ela diz que o cabelo é um dos marcadores de saúde e que, mantê -los saudáveis é primordial. Ainda acrescenta que uma ação super importante é mantê-los limpos. “Lembrando que couro cabeludo é pele e retém sujidade e quando desequilibrado pode gerar disfunções na saúde e futuras quedas. Um conselho que sempre dou é higienizar mais neste período pois ele também é um condutor de contaminação”, pontua a profissional.        

Aliás, Viviane afirma que não se pode deixar de ter outros cuidados com os fios, como hidratar, na quarentena. Ela diz que os cabelos sofrem agressões físicas o tempo todo, como o pentear,  a poluição,  a água quente , o atrito com o travesseiro,  o desembaraçar. E alguns cabelos sofrem, além disso, agressões químicas, perdendo nutrientes importantes para composição de um cabelo saudável. “Portanto, é essencial que devolvamos esses nutrientes para equilibrar novamente esses cabelos”, esclarece a expert, que aconselha somente deixar para depois procedimentos que agridem os fios.     

Em período de pandemia, ela aconselha deixar os cabelos descansarem de tantos procedimentos,  deixar de usar secadores,  chapinhas neste momento faz com que os cabelos sofram menos agressões. “Se unir a isto a um cronograma capilar, entregando nutrientes, seus cabelos só irão te agradecer”, continua.

Além de aconselhar a manter os cabelos limpos, a tricologista faz outras recomendações para evitar que o novo coronavírus se aloje nos fios:  “Se for a rua prende -los ou usar touca , trocar fronha de 2 em 2 dias”.  

Viviane também diz que a alimentação é primordial para manter a nutrição dos cabelos em dia. “Lembrando que nossos cabelos são anexos do corpo. Nossos estoques precisam estar bem para que eles recebam os nutrientes. Devemos acrescentar na nossa alimentação bastante proteínas – afinal, a maior parte dos fios são compostos por proteínas -,  legumes e verduras. Além de evitar gorduras, carboidratos e açúcares, que prejudicam a saúde capilar”, finaliza. 

Dez dicas para controlar a ansiedade

Em tempos de pandemia, precisamos cuidar de nossa saúde mental e emocional | Divulgação

O tempo vivido nos dias atuais não tem sido fácil. Em meio a pandemia causada pelo novo coronavírus, é normal o aumento dos níveis de ansiedade e estresse em todos, principalmente em quem já tem diagnóstico de ansiedade ou pânico.

A pessoa ansiosa tende a catastrofizar as situações, por exemplo: Ela consegue fazer uma formiguinha se parecer com um elefante, mas a partir do momento que ela conhece a si própria e conhece as suas crenças, então, ela começa a desmistificar isso.

Com isso, a neuropsiquiatra, especialista em saúde mental e neurodesenvolvimento, doutora Gesika Amorim, nos dá diversas dicas para ajudar a controlar a ansiedade principalmente no momento de pandemia.

• Faça exercícios de respiração frente a qualquer manifestação clínica de ansiedade ou de episódio de pânico. Respire fundo, conte até cinco, solte o ar lentamente contando de novo até cinco e então respire fundo mais uma vez prendendo o ar. Conte até cinco e solte o ar lentamente e assim sucessivamente. Faça isso e comece a notar que tudo vai ficando claro a sua volta. Você vai se acalmando naturalmente.

• Pratique uma atividade física, pois os exercícios liberam endorfina e diminuem muito o estresse e a ansiedade, bem como ter um hobby, algo que te distraia.

• Faça alguma Terapia que seja desestressante, como a yoga.

• Mantenha a sua rotina rígida, pois a desorganização causa muita ansiedade. Procure programar o seu dia de véspera. O inesperado pode ser um gerador de ansiedade. Ter seu dia programado, gera organização mental e reduz a ansiedade.

• Tenha um horário adequado para dormir. Não perca muito tempo assistindo televisão ou olhando o celular antes de dormir. Tome um banho quente, deite-se e se quiser, ouça sons da natureza, sons relaxantes, até dormir.

• Faça exercícios de meditação. Se gostar, aproveite os benefícios do Reiki, da musicoterapia, da quiropraxia e da acupuntura. Todas estas são excelentes técnicas para controlar a ansiedade.

• Não abuse do café, coca-cola ou qualquer produto rico em cafeína, pois eles são extremamente excitantes. Não é aconselhável também fazer uso de álcool antes dormir, pois cada indivíduo reage de um modo diferente.

• Evite alimentos gordurosos e de difícil digestão. Evite principalmente o glúten, o açúcar e o leite animal em excesso, pois eles podem ser geradores de substâncias tóxicas em indivíduos hipersensíveis piorando ainda mais os quadros de ansiedade e a qualidade do sono destas pessoas.

• Evite assistir noticiários e manchetes de jornais. Estamos vivendo tempos de muito sensacionalismo e isto abala muito a capacidade individual de analisar com clareza e objetivo as informações recebidas, gerando ansiedade e nas que já são ansiosas, o agravamento destas crises.

• Por último, se você sentir que sozinho não consegue dar conta e precisa de ajuda, não hesite em procurar um neuropsiquiatra. Você não precisa conviver com a ansiedade, pelo contrário, existe ajuda médica e profissional, portanto, não tenha receio e nem preconceito em procurar ajuda!

“Quando você sabe quem você é, sabe quais são as suas fraquezas, então você consegue trabalhar as suas crenças, para que elas não se tornem fontes geradoras de ansiedade”, finaliza a  Dra. Gesika Amorim.