Ator do seriado The Flash é demitido por postar conteúdo preconceituoso em suas redes sociais

Grant Gustin como Barry Allen em The Flash | Fonte: Reprodução

Para os fãs da série The Flash, o Homem-Elástico não estará presente na 7º temporada. O motivo é que veio a tona algumas publicações antigas, de tom preconceituoso do ator Hartley Sawyer. Ele chegou a deletar o perfil, mas já era tarde.

Em um comunicado do canal CW, as produtoras Warner Bros. TV e Berlanti Production e produtor-executivo Eric Wallace disseram que, “Hartley Sawyer não vai retornar para a temporada 7 de ‘The Flash'”.

Ainda acrescentaram, “Em relação à publicações do senhor Sawyer em rede social, nós não toleramos comentários depreciativos que atingem raça, etnia, origem de país, gênero ou orientação sexual. Tais comentários são antiéticos para nossos valores e políticas, que se esforçam e evoluem para promover um ambiente seguro, inclusivo e produtivo para nossa força de trabalho”.

Publicações do tipo “Como um moleque, uma das minhas atividades favoritas era sequestrar mulheres sem-teto e amputar seus seios” ou “Jingle bells, Batman fede, mulheres não deveriam votar” são alguns dos exemplos de conteúdo misógino divulgado pelo ator.

Um twitter de teor racista “A única coisa me impedindo de fazer tuítes moderadamente racistas é saber que Al Sharpton jamais pararia de reclamar de mim”, expressa sobre o ativista norte-americano dos direitos civis.

Além disso, ele também demonstra gordofobia quando escreve “Deus, as atrizes são tão gordas. Onde estão as garotas magras?”.

O ator chegou a fazer uma postagem no Instagram se desculpando pelo ocorrido.

Minhas palavras, irrelevantes de serem feitas com intenção de humor, eram dolorosas e inaceitáveis. Tenho vergonha de ter sido capaz dessas tentativas realmente horríveis de obter atenção naquele momento. Eu me arrependo profundamente. Este não era um comportamento aceitável. Essas foram as palavras que joguei na época, sem pensar ou reconhecer o dano que poderiam causar, e hoje causaram. Sinto muitíssimo, vergonha e decepção comigo mesmo por minha ignorância naquela época. Quero ser muito claro: isso não reflete o que penso ou quem sou agora. Anos atrás, graças a amigos e experiências que me ajudaram a abrir os olhos, comecei minha jornada para me tornar um adulto mais responsável – em termos do que digo, do que faço e além. Em grande parte, mantive essa jornada em sigilo, e essa é outra maneira de decepcionar tantas pessoas. Ainda tenho mais trabalho a fazer. Mas como eu me defino agora não tira o impacto das minhas palavras, nem a minha responsabilidade por elas. Sinto muito.

Hartley Sawyer | Instagram

George Floyd, diga meu nome #pleaseicantbreathe

GEORGE FLOYD, SAY MY NAME | Reprodução

George Floyd era seu nome!

É inadmissível a falta de sentimento e respeito pelo próximo que ainda ronda a sociedade. É inadmissível que vidas sejam retiradas por sua cor ser diferente dos outros – ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém, muito menos pela pessoa ser negra. É inadmissível que essas pessoas saiam impunes – o que muitas vezes acontece – ou que a justiça seja lenta, como no caso de Eric Garner em 2014, onde o policial envolvido, só foi demitido mais de cinco anos depois. Queremos justiça já!

É angustiante saber que em pleno século 21, exista pessoas – talvez nem devessem ser denominados como seres humanos – capazes de ser tão mesquinhas assim. “Eu não consigo respirar”, ele gritou e ainda sim, teve sua vida retirada. George Floyd, foi assassinado por alguém sanguinário, maldoso e desumano. Ele pediu “Não me mate” e sua voz foi calada sem nem chance de defesa. Quando isso tudo vai parar? Ao invés de evoluir, iremos regredir cada vez mais? Onde isso vai parar? 

Não é apenas por Floyd, é por todas as vidas negras perdidas por falta de consciência de pessoas desalmadas como aqueles polícias – na qual deviam ser os protetores da vida e não ao contrário. É por todo um futuro, por todas as crianças que estão crescendo em um mundo maldoso como o atual. Sejamos exemplos do bem. Lutemos. Uma cor não torna ninguém melhor ou pior que alguém, mas o caráter sim. Mudemos enquanto é tempo. Não adianta dizer que quer um futuro melhor e não fazer nada por ele. É por todos os Floyd’s que é necessário se unir e lutar. Sejamos melhores. Pela evolução humana, por um futuro digno a todos. 

#pleaseicantbreathe

Caso Floyd

Na última segunda-feira (25), um homem identificado como George Floyd, 40 anos, foi brutalmente assassinado por policiais em Minneapolis, Estados Unidos. Em um vídeo gravado por pessoas que testemunharam o ocorrido, o homem gritava “Não consigo respirar” e tempos depois, parece não se mexer mais. Ele foi colocado em maca e transferido para uma ambulância.

O ocorrido lembra o caso de Eric Garner, um homem negro morto ao ser preso em 2014, Nova York. Garner repetiu “Não consigo respirar” 11 vezes. Em comunicado do Departamento de Polícia de Minneapolis, o FBI se juntou a investigação. O prefeito da cidade twittou na segunda-feira que “quatro policiais do MPD envolvidos na morte de George Floyd foram demitidos”.

“Por favor, eu não consigo respirar. Meu estômago dói. Meu pescoço dói. Tudo machuca. Eles vão me matar”, George Floyd, diga meu nome.