Folk e indie pop guiam Ana Fajn em novo single “Pleasedontbreakmyheart”

Ana Fajn acaba de lançar seu novo single, “Pleasedontbreakmyheart”. A música é suave e melancólica à medida que dialoga com elementos de pop, indie e folk. Assim, o lançamento se remete à nomes como Girl In Red, Avril Lavigne, Day, Lauren Sanderson e Elana Dara. 

A música também carrega o espírito lo-fi, já que foi gravada via smartphone com o aplicativo Garage Band. Na ocasião, a própria cantora mixou e a masterizou a obra. 

Para Ana, foi essencial ter se envolvido em todas as etapas da canção. “Compus e produzi tudo sozinha. Sempre vejo a música como parte de mim. Por isso,  faço de coração e tento trazer o máximo de sinceridade nas minhas músicas. Assim, acabo expondo vulnerabilidades e sentimentos”. 

A cantora e compositora está em atividade desde meados de 2017 e divulgou o single Em Vão anteriormente neste ano. Natural do Rio de Janeiro (RJ), Ana Fajn tem 18 anos de idade e leva consigo a pretensão de lançar mais materiais ao decorrer dos próximos meses. 

Conheça Sophia Marie, uma das participantes do The Voice Kids 2020

A jovem Sophia Marie participa do “The Voice Kids”, que voltou a ativa no dia 20 de setembro com adaptações por conta do Coronavírus. As apresentações são feitas de modo remoto, com apenas os jurados, apresentadores e uma equipe reduzida no estúdio.

Sophia Marie integra o Time Brown, e foi destaque ao cantar o sucesso de Adele, ‘Rolling In The Deep’, na audição às cegas, virando a cadeira de Carlinhos Brown e da dupla Simone e Simaria. Já nas fases seguintes, apresentou a música ‘Girls Just Wanna Have Fun’, celebrando o Dia Internacional da Mulher.

A jovem artista já tem uma vasta bagagem de conhecimento da arte. Aos 3 meses iniciou os seus estudos através de musicalização e dança materna, aos 5 anos começou a fazer aulas de piano e foi quando o canto passou a fazer parte de sua vida. Mais tarde começou a fazer aulas de Teatro Musical e já integrou o elenco dos musicais “Marias do Brasil” com direção de Fernanda Chamma e “Escola do Rock” na montagem brasileira do espetáculo da Broadway, em que viveu a personagem Katie e, além de atuar, dançar e cantar, ela também toca baixo ao vivo nas apresentações.

Olá, Sophia, tudo bem? Você está se preparando para voltar às competições no ‘The Voice Kids’. Está nervosa? Como tem se sentido por isso?

Sophia: Oi, tudo bem e com vocês? Eu nunca parei de me preparar! O artista não pode parar nunca! Sou filha de professora e minha mãe me ensinou que o estudo e o preparo são fundamentais para o sucesso.

Por conta da pandemia, o formato da transmissão será diferente. Como será feita as apresentações?

Sophia: Surpresaaaa! Mas posso dizer que vamos arrasar! Preparamos tudo com muito amor e alegria. Saber que uma hora voltaríamos nos manteve “vivos”.

Sendo do Time Brown, qual é sua expectativa para essa volta?

Sophia: A minha expectativa é das melhores, esse ano a gente leva esse título para o time Carlinhos Brown.

Quais surpresas podemos esperar nas suas apresentações?

Sophia: Ahhhh, as surpresas não podem ser contadas! (risos) Mas aguardem que domingo será incrível!

Nos conte um pouco quem é Sophia Marie.

Sophia: Eu sou uma menina do amor, da arte e da alegria, busco as coisas boas em todas as trajetórias.

Deixe uma mensagem.

Sophia: Foco, estudo, coragem, amor e determinação em tudo que queremos e o Universo se encarrega do resto!

Novo clipe de Julia Mestre mostra seus dias na quarentena e marca o início de uma nova etapa na vida da cantora

Nas últimas semanas, a grande aposta da nova MPB Julia Mestre demonstrou como está sendo a sua quarentena em novo single. Em parceria com João Gil (neto de Gilberto Gil), Cores e Nomes foi produzido em home studio com imagens filmadas pela própria artista no seu período de isolamento social. O clipe já está disponível nas principais plataformas digitais.

Cores e Nomes se tornou uma canção conhecida do público pela banda Gilsons, em 2019, na qual João Gil é um dos integrantes. Agora Julia apresenta a própria versão, mais feminina, delicada e intimista, com a voz marcante e expressiva que a destaca no universo da música.

“O clipe é uma colagem de lembranças, um portal para a nova realidade”, conta Julia. “São vídeos e fotos caseiras da minha quarentena, um paralelo entre a cidade e o campo, Prisão e Liberdade. Entre brincadeiras de edição, sobreposição de fotos e memórias, o clipe convida a olhar pra dentro e questionar: por que nos sentimos tão sozinhos?”, completou.

O single também marca o início do relacionamento entre os dois compositores. Desde 2017 exercem uma colaboração musical um com o outro, e agora se uniram para a criação da nova versão de Cores e Nomes e caminharem juntos na vida como um casal.

“Engraçado que de uma balada triste como Cores e Nomes, uma reflexão sobre a solidão singular, nasceu um namoro que dura até hoje”, revela Julia.

Naiá Camargo lança single “Onde Eu Tô?”

Na última sexta-feira (14), a cantora e compositora Naiá Camargo, lançou seu novo single “Onde Eu Tô?”,  primeira canção da trilogia do início de um grande ciclo.

A melodia que retrata a busca do autoconhecimento e sua essência, de como enfrentar e viver mundo afora, imaginando formas de reinventar e renascer em seus pensamentos tentando se encontrar, já está disponível em todas as plataformas digitais. “Estou muito feliz e realizada com este novo trabalho. A letra foi escolhida a dedo e apesar de não ter escrito, ela diz muito sobre mim”, comenta a artista.

Acompanhada de videoclipe, “Onde Eu Tô?” apresenta uma constante viagem em paradoxo ao isolamento social que enfrentamos, e representado através de colagens, mostra momentos da história e diferente etnias, nem sempre vividos pela cantora.

“Cada vez que vejo o videoclipe, consigo ver figuras e lugares que eu não tinha visto anteriormente. O Renato Breder fez um trabalho maravilhoso e conseguiu transformar a letra e a poesia em um vídeo incrível” , fala Naiá.

Com canções autorais e inéditas, Vicka lança novo EP

Produzidas por Renato Patriarca e com direção artística do próprio Renato e Rick Bonadio, os sons captam a evolução na carreira da artista desde que desembarcou no Midas Music | Divulgação

Vicka acaba de se mostrar uma artista incansável. Pegou o vácuo da explosão que “Pausa” trouxe em sua carreira e engatou o lançamento de um EP com quatro músicas autorais e inéditas. Intitulado de “Dilema”, o novo trabalho da paranaense conta com, além do hit que nomeia o extended play, as faixas “Tipo Novela”“Muito Chão” e “Há Tanto Pra Viver”.

E para falar um pouco mais sobre o assunto, realizamos uma entrevista com a cantora que contou um mais sobre seu trabalho e muito mais. Confira:

Olá Vicka, muito obrigada por aceitar esta entrevista. Você acaba de lançar um Ep com quatro singles. Como foi feito o processo de criação do mesmo?

“Eu que agradeço. Então, o EP traz letras carregadas de positividade e reflexões sobre a vida. O processo foi bem interessante, porque parte das músicas foram produzidas a distância por conta da pandemia. Eu gravei vozes e violões de casa e os outros arranjos foram feitos na gravadora. A gente reuniu quatro músicas que tinham a ver com o momento único e complexo que o mundo está vivendo e que de certa forma, geram uma conexão com o último single ‘Pausa’. Além de contar com parcerias de composição em algumas músicas, elas também foram produzidas em conjunto pelo Renato Patriarca e o Rick Bonadio, o que torna o EP ainda mais especial”.

Alguma questão específica na vida te inspirou a escrever estas canções?

“Sim, cada música tem a sua história. ‘Dilema’ escrita em parceria com Juca Chuquer, Leo Grazz e Kike oliveira, meus grandes amigos, começou com a ideia de que a gente muda com o tempo e vai aprendendo a cada frustração, a cada decepção. Então ela fala que a gente não deve se preocupar tanto com as coisas e entender e aceitar o que não conseguimos controlar, em outras palavras, deixar a vida seguir seu fluxo natural. ‘Tipo novela’ traz um tema mais leve, te transporta pra um filme, uma história quase de conto de fadas. Já a canção ’Muito chão’, que foi escrita em parceria com a Ariane Villa Lobos, fala sobre continuar a vida depois de um término de relacionamento. E ‘Há tanto pra viver’, sobre a liberdade de poder ser quem quisermos ser, seguir atrás dos sonhos e valorizar a própria companhia”.

Seu híbrido de pop e MPB segue leve e apaixonante a exemplo de seus trabalhos anteriores, mas podemos também sentir um amadurecimento nas letras | Divulgação
Falando do single ‘Tipo novela’, apesar de toda violência no mundo, você acredita que tal sentimento de amor, como o de novela, ainda possa ser encontrado?

“Acredito muito. Acho que esse sentimento de que as coisas serão melhores, como um todo, é o que me move como artista. Realmente acredito que a música tem o poder de modificar a energia das pessoas e provocar sentimentos. Tudo está conectado”.

Quais são suas expectativas para o público com este EP recheado de canções incríveis?

“O EP foi lançado a poucos dias e já recebi feedbacks incríveis. Por mais que Dilema venha carregado de mensagens e reflexões, música é além de tudo alegria. Então eu espero que cada um sinta a música da sua maneira. Que Dilema possa relembrar a quem escuta que a nossa vida é valiosa e simples!”.

Para que o público te conheça um pouco mais, nos conte um pouco do seu início na carreira.

“Eu aprendi violão aos 10 anos com meu pai e subi pela primeira vez num palco pra uma apresentação aos 12. Muita coisa aconteceu desde então, descobri a MPB e fui me encantando pela sonoridade da música brasileira. Tive bandas, fiz muitas apresentações sozinhas também em casas de show. Com o tempo fui descobrindo e me encontrando como compositora e cantora das minhas próprias canções. Foi um processo de descobertas, e ainda é, todos esses anos aprendendo e vivendo várias experiencias com o público. Comecei a compor por volta dos 13 anos, levava o violão pra escola pra tocar no intervalo das aulas e ali foram surgindo as primeiras ideias. Em 2018 lancei um álbum autoral com 7 músicas e embarquei numa viagem pra Irlanda, onde fiquei por oito meses tocando pelas ruas da capital. Em 2019 conheci a gravadora Midas Music e me mudei de Cascavel-PR (minha cidade natal) pra São Paulo. Desde então venho aprendendo muito com a equipe da gravadora. A estrada é longa, é só o começo”.

Divulgação
Além das canções ‘Dilema’, ‘Tipo Novela’, ‘Muito Chão’ e ‘Há Tanto Pra Viver’, existe algum plano para este ano ainda?

“Sim, planos temos muitos. Tenho várias canções que escrevi durante a quarentena e algumas que foram escritas antes até que vão ser produzidas. Quando serão lançadas ainda não sabemos, mas cada coisa vai acontecer no seu tempo. Posso adiantar que ‘Dilema’ vai ganhar um videoclipe nos próximos dias. O que vem depois são cenas pros próximos capítulos da história”.

Deixe uma mensagem.

“Nem sempre as coisas acontecem de primeira. Essa frase é da música Dilema, e se tem uma coisa que aprendi na vida é isso. Muitas vezes você vai errar antes de acertar e esse processo é natural. Cada coisa acontece no tempo certo e se alguma coisa ainda não aconteceu da forma como você gostaria, é porque ainda não é o momento. É uma eterna evolução que exige paciência. Deixe a vida seguir o seu fluxo natural”.