Belle Silva participa de campanha em apoio às vítimas de violência doméstica

Belle Silva desenhou o Sinal Vermelho que identifica as vítimas de violência doméstica | Divulgação

A influenciadora digital Isabelle Silva está participando da campanha Sinal Vermelho, que tem como objetivo identificar mulheres que estão sofrendo violência doméstica. A carioca postou em seu perfil do Instagram uma imagem em que aparece com um “X” vermelho desenhado na palma da mão – sinal de identificação da vítima.

Convocada por seu amigo Mumuzinho, a franco-brasileira chamou mais três amigos para ajudar na divulgação da ação. “Precisamos olhar para o próximo e, principalmente, para os mais vulneráveis. Como mulher, sei o que nós enfrentamos todos os dias para sobreviver e por isso precisamos nos unir para fazer essa mensagem chegar até as vítimas mais rápido”, afirma Belle.

Como funciona?

Idealizada pelo Conselho Nacional de Justiça – CNJ -; Associação dos Magistrados Brasileiros – AMB -; Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias – Abrafarma – e Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa -, a campanha teve início no fim de maio.

As mulheres que estiverem sofrendo violência doméstica devem ir até uma farmácia e mostrar o sinal para um atendente, e ele acionará a polícia.

Por causa da quarentena do novo coronavírus, a incidência da violência doméstica tem aumentado cada vez mais. Um relatório feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública – FBSP – aponta que, entre março e abril deste ano, o número de feminicídio subiu de 117 para 143 em 12 estados do Brasil, um crescimento de 22,2% em comparação ao mesmo período do ano passado.

O documento, denominado de Violência Doméstica durante a Pandemia de Covid-19, foi divulgado no dia 1º de junho com dados coletados nos órgãos de segurança pública estaduais.

A pesquisa também destaca a alta de 25,5% do crime de lesão corporal dolosa em níveis semelhantes ao de países como Itália e Estados Unidos, onde as mulheres encontraram mais dificuldade de se deslocar para a delegacia, de acordo com o FBSP.

Clique AQUI para saber mais sobre a campanha