Após duas décadas de hiatos, a Banda Sr Banana lança novo clipe e mostra que veio para ficar

Nos três anos da primeira fase da banda, foram os primeiros artistas brasileiros contratados pelo selo Virgin, gravaram o homônimo álbum de estreia com produção do baixista de Peter Tosh e emplacaram quatro grandes sucessos – “Dignidade”, “Encontrar”, “Ritmo da Chuva” e “Tenho que Te Ver” | Divulgação

Após hiato de 20 anos, o Sr.Banana mostra na prática que o retorno às atividades em 2018 não foi à toa – desde que restabeleceram o grupo, lançaram três singles inéditos e neste 2020 um EP pelo Midas Music com cinco faixas, três clipes, e agora remix em áudio e vídeo de um dos principais sucessos do trabalho, Pétala de Flor.

A canção foi transformada em um remix de balada pop para uma música sob medida para pista. Aproveitando esse lançamento, entramos em contato com a banda e o percussionista, Fabiano Neves, nos respondeu. Confira:

Olá, tudo bem? Vocês fizeram um hiato de 20 anos da banda Sr.Banana, mas voltaram com tudo, lançando até mesmo o clipe mais atual de “Pétala de Flor” . Como foi essa decisão de retorno às atividades?

“Voltamos no final de 2017 para um show de lançamento do livro ‘Uma Fina Camada de Gelo’, do Eduardo Mercer, que conta a história do Rock Autoral Curitibano. Nos fez lembrar velhos tempos e nos fez ver que ainda vibrávamos de estar no palco juntos”.


O clipe da música foi gravado durante a quarentena. Misturando cenas de bailarinos e integrantes da banda cantando a música, com a arte das histórias em quadrinhos. De onde veio a ideia para essa filmagem?

“O diretor Gerson Baroni quis exatamente trazer este contraste entre vivermos em nossas casas reclusos, no amor, enquanto coisas dignas de histórias em quadrinhos ainda acontecem no mundo exterior, como ainda termos racismo em 2020. Mas também estarmos vivendo uma pandemia de Covid, aparecerem ETs e até os EUA darem os primeiros sinais de confirmação, viagens ao espaço, etc….tudo acontecendo ao mesmo tempo”.

Como tem sido a reação do público? Eles aprovaram o novo clipe?

“Sim, muito boa a reação. Estamos tendo muito retorno positivo deles”.

Foi difícil ter que inovar e criar um vídeo em distanciamento social?

“O mundo conectado, as inovações tecnológicas e a conexão com pessoas empreendedoras e inovadoras deixou tudo isto possível mesmo com o distanciamento físico social”.

Desde que restabeleceram o grupo, lançaram três singles inéditos e neste 2020 um EP pelo Midas Music com cinco faixas, três clipes, e agora remix em áudio e vídeo de um dos principais sucessos do trabalho. Sabendo disso, quais são as metas para o futuro da banda?

“Nosso principal objetivo agora é o lançamento de um novo álbum, com 11 músicas que vai se chamar ‘Multiverso'”.


Você  tocaram com artistas como Bon Jovi e The Wailers. Como foi essa experiência?

“Também tocamos com Shaggy, Máxi Priest, Pato Banton, Paralamas, Titãs, Fernanda Abreu, Mamonas, enfim, com gigantes da música nacional e internacional. E ter tocado com eles é o que nos motiva a voltarmos e continuarmos”.

Sobre o início da carreira, como surgiu o Sr.Banana?

“Entre 1994 e 1995 unimos importantes figuras da cena local curitibana, com o intuito de fazer música pop autoral, com letras de amor, protesto e auto ajuda”.


Deixe uma mensagem ao público.

“O tempo nos leva a fazermos realmente o que gostamos. Seja rápido em observar isto e não perca tempo fazendo o que você não gosta ou o que os outros querem que você faça. Ah, podemos sim fazer e gostar de várias coisas ao mesmo tempo, desde que tenhamos estudo, dedicação, disciplina, trabalho e respeito a ciência!”.