Tempo de Leitura: 3 Minutos

Após muita expectativa e vários meses de atraso, o filme mais recente da franquia 007, “Sem Tempo para Morrer”, chegou aos cinemas, e em sua estreia nos Estados Unidos arrecadou US$ 56 milhões (algo em torno de R$ 308.4 milhões), um valor bem abaixo das expectativas. Esse foi um sinal claro de que uma das franquias mais icônicas da história do cinema mundial precisa lidar com o atual panorama da indústria da sétima arte, que foi extremamente alterado por conta da crise sanitária.  Antes do final de semana, a perspectiva era de que “Sem Tempo para Morrer” iria arrecadar ao menos US$ 60 milhões, podendo esse valor chegar na casa dos US$ 70 milhões em seus três primeiros dias de lançamento. 

Apesar de não ter sido um desastre, acreditava-se que a bilheteria após o final de semana fosse muito maior, já que o longa recebeu inúmeras críticas positivas e é também o último protagonizado por Daniel Craig no papel do agente secreto.

Para muitas produções da indústria cinematográfica, arrecadar US$ 56 milhões em apenas um fim de semana de estreia seria algo incrível, e um motivo a ser comemorado. Porém, “Sem Tempo para Morrer” não é um filme comum, já que ele teve um orçamento de incríveis US$ 250 milhões, sem levar em conta os outros US$ 100 milhões gastos em marketing. Ainda é possível acrescentar a esta conta as dezenas de milhares de dólares por adiar o lançamento, que deveria ter acontecido em abril do ano passado. 

Alguns especialistas em bilheteria estipulam que “Sem Tempo para Morrer” precisa arrecadar ao menos US$ 800 milhões na bilheteria global para dar lucro durante sua janela nos cinemas. Felizmente, a franquia possui vários acordos auxiliares e parceiros de marketing, como a Aston Martin, Omega, dentre outros, que devem ajudar os produtores do longa a diminuir possíveis perdas. 

Britânicos continuam apostando em quem será o próximo James Bond

No Brasil, sem sombras de dúvidas são os esportes, como o futebol, basquete e MMA, que atraem boa parte das apostas realizadas no país. Sendo que os brasileiros têm feito bom uso das plataformas de apostas com bônus de cadastro, para continuarem a dar pitacos em seus eventos esportivos favoritos, recebendo ainda um aumento no seu saldo inicial por conta das promoções. Mas, diferentemente do Brasil, na Inglaterra, é comum que as pessoas busquem palpites mais amplos, como: Qual a cor do vestido que a Rainha aparecerá em público? Ou, quem será o próximo ator a interpretar o James Bond?

Como sabemos, “Sem Tempo para Morrer” foi o último filme de Daniel Craig no papel do lendário agente britânico que tem licença para matar. Com isso, as especulações sobre quem será o próximo 007 aumentam a cada dia, ainda mais sendo esse assunto praticamente uma tradição nacional na Inglaterra. E, atualmente, um dos nomes mais cotados da lista é um ator que despontou com um dos maiores sucessos da Netflix, “Bridgerton”. Estamos falando de Regé-Jean Page, que interpreta o Duque de Hastings da série. O ator chamou bastante atenção quando realizou uma postagem em seu Twitter que dizia “shaken, not stirred” (batido, não mexido”, uma das famosas frases do James Bond. 

Contudo, Regé-Jean Page não é nem de longe o favorito da disputa, já que outros atores estão sendo bem mais cotados pelo público britânico. Liderando a lista está Tom Hardy, sendo seguido por nomes de peso como Idris Elba, James Norton e Henry Cavill. 

E apesar de todo esse questionamento sobre quem será o próximo James Bond, quem parece não se importar nem um pouco com isso é o próprio Daniel Craig. O ator já tinha gerado uma certa “polêmica” ao refutar a possibilidade do próximo longa ter uma protagonista feminina. E durante o lançamento mundial de “Sem Tempo para Morrer”, ele foi questionado por um repórter se ele tinha alguma preferência para seu sucessor. E Craig simplesmente respondeu: “Isso não é problema meu”. 

Autor

Share.

Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: