Tempo de Leitura: 3 Minutos

O cuidado com o corpo envolvendo a beleza e estética não deve implicar em riscos para a saúde. A depilação com cera quente é uma prática frequentemente adotada pelas mulheres, já que a alta temperatura do produto quando aplicada na pele contribui para a dilatação dos poros, facilitando a remoção dos pelos pela raiz. Mas fica a questão: será que o procedimento causa varizes? A fundadora e CEO do Pello Menos, rede de depilação a cera e a laser, Regina Jordão, selecionou as dúvidas mais frequentes para esclarecer e desmistificar algumas delas. Confira!

Cera quente causa varizes? 

MITO: As varizes são veias dilatadas que sofreram danos circulatórios. No entanto, para que isso aconteça, é preciso atingir camadas profundas da pele, o que não é possível com o uso da cera quente. Caso a pessoa tenha predisposição à varizes, o mais recomendado é se atentar quanto à temperatura utilizada na depilação com cera, sendo uma agradável para a pele. Feito isso, não é preciso se preocupar com o surgimento de varizes na pele. 

Genética, idade e gênero influenciam no surgimento de vasos dilatados na pele?

VERDADE: Quando se trata de fator genético, se alguém da família sofre com varizes, é muito provável que a pessoa também desenvolva o problema. A idade também influencia, uma vez que com o passar dos anos, os vasos ficam mais sensibilizados, aumentando a chance de dilatação. Já em relação ao gênero, as mulheres são mais propensas ao surgimento dos vasos dilatados. Isso acontece por conta da influência hormonal, uma vez que elas possuem veias mais flácidas que os homens. Além desses, os hábitos não saudáveis também podem contribuir para o surgimento e/ou agravamento das varizes, como ficar sentada por longos períodos ou com as pernas cruzadas por muito tempo, pois isso faz com que a circulação fique comprometida, aumentando o risco de dilatação dos vasos sanguíneos. 

Existe cura para o quadro de varizes? 

MITO: Não há cura para o quadro de varizes, no entanto, é possível tratar os sintomas. Uma das possibilidades é com a técnica de escleroterapia – durante o procedimento não invasivo, é aplicado glicose ou laser e, em alguns casos, usa-se também espuma de dióxido de carbono diretamente na veia do paciente. Os tratamentos reduzem a aparência estética e, para os casos muito graves, em que elas possuam mais de 1 (um) dedo de calibre, há a possibilidade de realizar uma cirurgia. Vale lembrar que um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada e prática de atividades físicas evitam o surgimento.

Na gravidez, as varizes são mais comuns?

VERDADE: A gravidez também é um fator de agravamento para o surgimento das varizes. Isso devido ao aumento da produção de determinados hormônios, como a progesterona, que torna o organismo mais suscetível à dilatação das veias. Além disso, o peso extra do feto contribui para o aumento da pressão das pernas, por isso, para evitar as varizes na gravidez, recomenda-se o uso contínuo de meias de compressão, já a partir do segundo mês de gestação. 

Os sintomas passam despercebidos?

MITO: O autocuidado deve estar presente em todas as atividades da vida, especialmente as do cotidiano, como o banho – só assim para identificar quando o corpo fala. No início, o mais comum no quadro de varizes é o aspecto azulado das veias, porém, outros sintomas também podem indicar a dilatação dos vasos, como: dor, peso e desconforto nas pernas, inchaço na região, coceira em excesso e ardor. 

O uso de anticoncepcional pode causar a dilatação dos vasos sanguíneos?

VERDADE: Esse medicamento também contribui para o aumento de determinados hormônios que são agravantes para o surgimento de varizes, sendo um deles o estrogênio. Caso a pessoa tenha predisposição, o mais indicado é conversar com o médico ginecologista para encontrar o método contraceptivo mais adequado. 

Autor

Share.

Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: