Tempo de Leitura: 5 Minutos

Nascida no interior da Bahia, em meio a uma família bastante musical, a cantora Dani Coimbra faz sua estreia com o single autoral Posso me Alegrar. Morando em Brasília há mais de 20 anos, Dani revela que sua primeira música lançada nas plataformas digitais é um marco em sua vida.

De acordo com Dani, a canção nasceu no ano passado, durante o lockdown imposto na cidade por causa do novo coronavírus. Diante do clima de tensão instaurado na sociedade, ela tomou a iniciativa de fazer uma série de dez lives musicais em seu Instagram e foi aí que se deu início à concepção da música.

Integrante do Departamento de Música da Igreja Verbo da Vida Brasília, na cidade de Taguatinga, Dani Coimbra é formada pela Escola de Ministros Rhema Brasil, uma instituição de ensino que atua na formação teológica de ministros e que tem dentre seus alunos o cantor e pastor André Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha. Confira a entrevista!

Natural de uma família musical na Bahia, você acaba de lançar a música “Posso me Alegrar”, o que considerou um marco em sua vida. Como está sendo a sensação de mostrar sua arte ao público pela primeira vez e quais foram os principais medos e pensamentos que passaram pela sua cabeça nesse processo?

Um marco fundamental em minha vida foi minha vinda para Brasília, a Terra da promessa para minha vida. A sensação de mostrar os dons que Deus me confiou a outras pessoas é um misto de alegria e responsabilidade, pois sei Quem é o meu primeiro ouvinte: Jesus, a Quem tributo toda honra e glória!

Não posso dizer que tive medo, pois Deus me deu muita coragem, mas os principais desafios foram, sem dúvida, saber se as pessoas iriam gostar da minha música, se elas iriam se identificar com sua essência e estilo, já que se trata de “Xote”, um estilo nordestino!

Soubemos que a ideia de se lançar no meio musical veio na época de lockdown no ano passado. Você acredita que em meio a tantos artistas independentes que vem se lançando no mercado, a sensação de insegurança deixada pela pandemia da COVID-19 tem conseguido servir de inspiração para esse processo criativo?

Olha, na verdade o que a Pandemia deixou latente é o nível espiritual em que as pessoas estão. Para mim, foi apenas uma continuidade de um relacionamento íntimo com Deus, em que pude provar de Sua fidelidade e amor! Enquanto eu via muitas pessoas aflitas e inseguras, eu permaneci firme e desfrutando da paz que excede o entendimento humano. Então, comecei a deixar fluir as canções que estavam no meu coração; “Posso me Alegrar” é uma delas!

Quando foi que a música passou a fazer parte de sua vida e como essa paixão nasceu?

Desde criança me apaixonei pela música. Ela faz parte do DNA da minha família! Quando tinha 4 anos de idade, já me apresentava em festivais na escola, e muitas pessoas já viam um talento especial em minha vida, embora fizesse tudo de forma amadora. Com o passar do tempo, essa paixão só aumentou, e hoje tenho o privilégio de me tornar cantora gospel aos 41 anos de idade! Deixo aqui um incentivo aos leitores dessa matéria: “Os sonhos não envelhecem”!

Em setembro deste ano já está sendo planejada a gravação do videoclipe da canção que será ambientado no Nordeste. Como estão suas expectativas e a preparação para a filmagem? Poderia nos adiantar algo?

Claro que posso! Gravar esse clipe no Nordeste, na minha terra, é um sonho. É poder retornar às minhas origens e viver esse momento ímpar no meio do meu povo! As expectativas são as melhores, pois os ares do Nordeste são diferentes. Existe um ambiente favorável, em que o povo respira “forró” e “xote”, e isso faz muita diferença na atmosfera de gravação! “Será um momento extraordinário”!

O que toda essa experiência vivida desde quando decidiu seguir como cantora até agora contribuiu para sua formação musical?

Essa experiência me fez ter consciência do quão importante é aliar a técnica com a unção de Deus. Tenho buscado aprender técnicas vocais, a fim de aprimorar os dons que Deus me concedeu.

A música tem vários significados para cada um. Em sua visão, o que é música?

Toda música expressa alguma mensagem, e promove a imagem de alguém, sejam personagens ou até mesmo uma pessoa que é homenageada. A música para mim significa expressão de amor. É a forma primária de adoração a Deus! Eu vejo Deus na música, e Deus é amor! Ele amou o mundo, Ele me amou primeiro, e, por isso, eu decidi expressar meu amor por Ele através da música todos os dias da minha vida até a eternidade!

Conte-nos um pouco mais sobre quem é Dani Coimbra?

Dani é uma mulher simples, que confia totalmente em Deus e que viverá cada um dos Seus sonhos!

Além da canção atual, existe algum novo projeto em mente para o futuro que possa nos contar?

Sim. Já estamos trabalhando na produção de outras canções: duas autorais e três regravações! Se Deus trabalha dia e noite, eu também vou trabalhar para cumprir meu chamado! Sempre em frente!

Autores

  • Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

  • Luca Rocha Moreira, mais conhecido como Luca Moreira, é um jornalista, escritor e entrevistador internacional brasileiro. Conhecido por suas entrevistas com mais de 500 personalidades em cinco países diferentes em seus primeiros três anos de carreira. É autor do livro "300 Histórias para Inspirar".

Share.
,

Andrezza Barros (Niterói, 21 de abril de 1995) é uma jornalista, colunista e entrevistadora do entretenimento.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: