Kygo lança remix de “Hot Stuff”, de Donna Summer

O grande astro internacional, produtor e DJ, Kyrre Gørvell-Dahll – também conhecido como Kygo lança hoje um novo remix da canção da Donna Summer, “Hot Stuff”, música lendária e vencedora do prêmio Grammy e disco de platina, pela Sony Music International/Ultra Records/RCA Records. A faixa original, produzida por Pete Bellotte e Giorgio Moroder, foi indicada como uma das 500 melhores canções de todos os tempos pela Rolling Stone e foi o principal single do álbum “Bad Girls” da Donna Summer. Ela ganhou o prêmio Grammy de Melhor Performance Vocal Feminina de Rock pela canção “Hot Stuff” no primeiro ano em que o prêmio foi distribuído.

“Hot Stuff” acompanha um novo clipe produzido pela Lighthouse Films, dirigido por Bo Webb e filmado por Brad Walker, que conta com a participação de Chase Stokes e Madelyn Cline, mais conhecidos como John B. e Sarah Cameron da série Outer Banks da Netflix.

Kygo comenta: “Donna Summer é uma das minhas artistas favoritas de todos os tempos. O catálogo de músicas da Donna é brilhante, com vocais incomparáveis. Estou honrado e emocionado por começar a trabalhar com uma faixa icônica como ‘Hot Stuff’. Esta sempre foi uma daquelas canções que me deixa de bom humor na hora. Espero que esta versão possa continuar a trazer alegria e felicidade para as pessoas que querem celebrar a lendária Donna Summer.”

Este foi um grande verão para Kygo, que lançou recentemente o remix de “What’s Love Got to Do With It” de Tina Turner que recebeu diversos elogios, bem como seu terceiro álbum “Golden Hour”, aclamado pela crítica, que apresenta o single de sucesso “Lose Somebody” com OneRepublic e “Higher Love” com Whitney Houston, este último tem mais de 651 milhões de reproduções de áudio e clipe e está entre as 40 mais tocadas nas rádios. Kygo começou o dia de lançamento do álbum com apresentações de “Lose Somebody” com OneRepublic e “The Truth” com Valerie Broussard na série de shows de verão do Good Morning America e se apresentará com o OneRepublic no The Tonight Show da NBC com Jimmy Fallon em 22 de julho.

Camilla Rocha tem número de celular repercutido entre fãs na internet

A atriz, cantora e influenciadora, Camilla Rocha, teve sua privacidade invadida ao ter seu número pessoal divulgado, recebendo inúmeras ligações do público. Através de um Stories, a famosa comentou que não adianta ligar, já que não irá atender ninguém.

A artista decidiu conscientizar o público pela falta de respeito que é invadir a privacidade e que é chato ficar bloqueando pessoas o dia inteiro. Além disso, tal situação tem a feito perder sua concentração nos estudos.

Em declaração através da assessoria, a atriz comentou que entende a ansiedade e as pessoas quererem falar com ela, acessando sua vida, só que: “Os meios de redes sociais estão aí para isso. Às vezes nós utilizamos o nosso telefone pessoal para tratar de negócios, para poder estar fazendo conteúdo para os fãs, e eles próprios não deixam a gente produzir, não nos deixam ter reuniões e responder pessoas. Isso é uma falta de respeito, porque a gente acaba tendo que dedicar 100% do dia para o fã, e ele mesmo fica sem conteúdo para consumir. Isso é bem chato, e fiquei muito chateada, mas espero que isso não aconteça novamente“, desabafou.

A assessoria de Camilla disse que a mesma já está providenciando uma troca de número, já que não está conseguindo responder nem mesmo os contatos pessoais e profissionais. “Esse não é o primeiro caso que vemos um artista tendo o seu espaço pessoal invadido de uma forma tão brutal. Não é só porque eles são figuras públicas, que eles não mereçam ter os seus momentos de privacidade”, afirmou o assessor de comunicação da atriz, Luca Moreira.

Mauricio de Sousa será homenageado em Histórias com Personalidade

Os fãs de parques de diversões e atrações turísticas podem se preparar para um encontro on-line inesquecível. A live Histórias com Personalidade acontecerá no dia 17 de setembro, às 19 horas, pelo Facebook oficial da Adibra e no canal da Hapfun no YouTube, e terá o desenhista Mauricio de Sousa como convidado ilustre, que compartilhará fatos curiosos que marcaram a história do setor de parques do Brasil.

Considerado o mais famoso e premiado autor brasileiro de histórias em quadrinhos, Mauricio de Sousa criou a turminha mais divertida e popular do Brasil, a Turma da Mônica, além de vários outros personagens. Reconhecido no Brasil e no exterior pelo seu talento e brilhantismo, o desenhista, há décadas, vem fazendo a alegria da garotada e imprimindo sua genialidade no setor.

Ele é o responsável pela criação do Parque da Mônica, há mais de 25 anos, que hoje está localizado no Shopping SP Market, em São Paulo. É um empreendimento que conta com mais de 12 mil metros quadrados e é considerado o maior parque coberto da América Latina, possui mais de 20 atrações interativas com opções de entretenimento para toda a família.

Histórias com Personalidade é uma iniciativa da Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (Adibra) com o apoio do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), que visa homenagear as celebridades que emprestaram seu talento a favor do segmento.

A cada edição do projetoum nome consagrado do entretenimento será homenageado e o púbico terá a oportunidade de conhecer um pouco mais de suas experiências profissionais. 

Rafa Kalimann encabeça campanha do “Setembro Amarelo” com alerta para o suicídio

Desde 2014 o mês de setembro recebeu uma missão especial: falar com a população sobre o suicídio! Colorido de amarelo pela OMS (Organização Mundial da Saúde), ele se tornou o mês onde profissionais da saúde, celebridades, pessoas que passaram por alguma situação relacionada, passaram a fazer campanhas para conscientizar sobre esse assunto tão delicado, porém extremamente necessário.

“Hoje mais de 1 milhão de mortes são acusadas por ano como suicídio, e ainda existem muitos tabus que limitam os pedidos de ajuda e a procura pela ajuda certa. Abordar esse assunto ajuda para que se consiga identificar os sinais de quem está passando por momentos difíceis e evitar que uma pessoa chegue a esse estágio de desespero”, comenta Rafa.

Diante de toda a importância sobre o assunto, Rafa Kalimann resolveu falar em suas redes sociais, de forma prática, principalmente para os jovens, sobre assuntos como depressão, pânico, ansiedade e estresse. Entram no papo também como prevenir esses estados e alguns pontos que possam desencadear tais atitudes.

“Muitas pessoas têm, mas não sabem de onde vem o desespero, a angústia, o pânico, enfim, tudo que resulta em uma doença que mata silenciosamente e leva à atos como o suicídio, e isso é muito sério, precisamos falar mais disso”, continua a influencer.

Durante todo o mês de setembro, Rafa Kalimann receberá convidados como Lucas Lucco, Maísa, Deive Leonardo, e claro, profissionais da saúde que debaterão sobre esse assunto tão sério e pouco falado, para tentar ajudar e conscientizar uma população que sofre com pontos como traumas, conflitos familiares, não aceitação, discriminação, dificuldades financeiras, e principalmente como e onde procurar identificar sintomas, onde procurar ajuda e como superar.

Além dos bate papos em suas redes, Rafa lançará pequenos desafios semanais e alguns relatos nos vídeos. “É essencial ajudar ao próximo, é humano. Não podemos cruzar os braços e fingir que nada acontece. O que eu puder fazer para ajudar, farei. E nada melhor do que usar a minha ferramenta de trabalho, que graças a Deus alcança muita gente, para levar informação e um pouco de carinho”, finaliza Rafa.

Gustavo Ferreira dará vida a Jason Dean em “Heathers – A Teen Musical”

O musical “Heathers”, inspirado no filme ganhou o título de “Atração Mortal” no Brasil. A história de Veronica, uma garota que se aproxima das garotas populares da sua escola, as três Heathers, para parar de sofrer bullying, mas odeia suas novas amigas, e junto de seu namorado, Jason Dean, fazem de tudo para acabar com esse reinado. Heathers é uma obra rock que tem uma legião de fãs pelo mundo e promete conquistar corações que são ou sempre serão jovens.

Em São Paulo, a montagem terá direção geral de Fernanda Chamma em parceria com a também diretora Daniela Stirbulov, coreografias de Mariana Barros e direção musical de Willian Sancar e Catarina Marcato. Após uma temporada de sucesso no final de 2019, o espetáculo volta com classificação livre, com diversas novidades.

Além de ser acessível para todo o público, sem restrição de idade, essa montagem traz um novo formato, se adequando às medidas de prevenção contra o Coronavírus, com apresentações na hamburgueria Stunt Burger. Os ensaios estão acontecendo no Estúdio Broadway Morumbi, com todas as medidas de segurança.

Gustavo Ferreira é ator e cantor, já participou de diversas montagens de teatro musical, entre elas “Marias do Brasil”, com direção de Fernanda Chamma, e o musical da Broadway, “Escola do Rock”, produzido pelo Atelier de Cultura. Atualmente, Gustavo se prepara para estrear, também, no espetáculo “João e Maria – O Musical”, com direção geral de Fernanda Chamma.

Chadwick Boseman: ator que deu vida ao eterno T’Challa em ‘Pantera Negra’ morre em luta há 4 anos contra o câncer

Chadwick Boseman, ator brilhante de 42 anos, vinha em uma batalha de 4 anos contra um câncer de cólon estágio III. A informação foi divulgada no perfil do Instagram do artista que deu vida ao famoso T’Challa no filme ‘Pantera Negra’, franquia da Marvel.

“É com tristeza incomensurável que confirmamos o falecimento de Chadwick Boseman”, inicia a publicação. “Chadwick foi diagnosticado com câncer de cólon em estágio III em 2016 e lutou contra ele nos últimos 4 anos, enquanto progredia para o estágio IV”.

“Um verdadeiro lutador, Chadwick perseverou em tudo e trouxe a vocês muitos dos filmes que tanto amam.From Marshall to Da 5 Bloods, August Wilson’s Ma Rainey’s Black Bottom e vários outros, todos foram filmados durante e entre inúmeras cirurgias e quimioterapia”.

E a postagem continua: “Foi a honra de sua carreira dar vida ao Rei T’Challa no Pantera Negra. Ele morreu em sua casa, com sua esposa e família ao seu lado”. E finaliza: “A família agradece por seu amor e orações e pede que você continue respeitando a privacidade deles durante este momento difícil”.

Amigos e Fãs

Nas redes sociais amigos e fãs tem prestado solidariedade por este momento tão difícil vivido pela família de Boseman.

Admiradores ainda dizem não crer no que ocorreu. E nem nós acreditamos!

O que desejamos é que a família do ator tenha força para seguir esse momento tão difícil.

Comemorando 40 anos de carreira e 65 de vida, Sandra de Sá tem oito álbuns lançados pela Sony Music nas plataformas de streaming

A grande diva do soul brasileiro, Sandra de Sá, está celebrando seus 40 anos de carreira neste ano de 2020 e ontem (27) chegou aos 65 de idade, data em que a Sony Music Brasil ofereceu um super presente aos fãs da cantora. Serão disponibilizados três álbuns de carreira, um compacto e quatro compilações da artista nas plataformas de streaming. Trata-se de mais uma ação do marketing estratégico da gravadora, dando prosseguimento ao projeto de digitalização do seu catálogo, incluindo a restauração de tapes analógicos e projetos gráficos originais.

Além dos álbuns da cantora que já estavam disponibilizados, gravados na extinta RCA/BMG, atual Sony Music – o primeiro e antológico “Sandra Sá” (1986), dos hits “Retratos e canções” e “Joga fora (no lixo)”, o último e menos conhecido registrado na companhia, “Sandra de Sá” (1993) e duas coletâneas –, entram agora “Sandra de Sá” (1988); “Sandra!” (1990); “Lucky!” (1991), além de um compacto de 1986 com a balada “Entre nós” (em duo com Michael Sullivan) que traz no lado B uma canção pop instrumental, “Love time”, do gruplo Clock; além das coletâneas “O melhor de Sandra de Sá” (sua primeira compilação, de 1989) e seus volumes das séries “Acervo” (1993), “Focus” (1999) e “RCA – 100 anos de música” (2001).

Trata-se da fase de maior sucesso da carreira de Sandra de Sá, que veio seis anos após sua estreia no Festival MPB 1980 da TV Globo, sedimentando ainda mais seu nome no olimpo da cultura Black Rio. “Foi uma fase de ampliação de conhecimento e de reconhecimento da minha própria arte. Ainda estava muito crua no meio artístico, pois não fui do tipo que passou a vida inteira querendo ser artista. Queria ser psicóloga, música para mim era um hobby, saía naturalmente, era como respirar. Até me convencer de que havia um mercado, um mecanismo para as coisas acontecerem, altas estratégias, demorou um pouco. Aprendi muito durante essa época e tive certeza que só eu mesma poderia escrever minha própria história na música”, explica a intérprete em entrevista exclusiva para este lançamento.

“Bye, bye tristeza” foi um de seus maiores hit

Foi justamente a partir de 1986, ao ingressar na extinta RCA que a carreira da cantora deu um salto de popularidade, quando o então diretor artístico da empresa, Miguel Plopschi, juntamente com a dupla de hitmakers Michael Sullivan e Paulo Massadas e o arranjador Lincoln Olivetti, deram a ela o empurrão definitivo. Após o êxito do álbum “Sandra Sá” (1986), ela mudou de nome e logo o estampou na capa do seguinte, “Sandra de Sá” (1988), que dava sequência natural ao anterior. “Foi a continuação de um grande estrondo. A canção ‘Bye, bye tristeza’, de Marcos Valle e Carlos Colla, até hoje não posso deixar de fora dos shows. Agrada a todas as idades. É curioso porque desde o começo eu canto essa música não pensando num romance, mas como um hino do ser humano, que quer ser feliz. Outra desse disco que sempre pedem é ‘Alma gêmea’. No próximo show, já vou ensaiar para colocar no roteiro”, afirma a cantora que também brilhou neste trabalho em dueto bilíngue com o astro  Billy Paul, na balada “Amanhã”, assinada pela grife Sullivan & Massadas. No entanto, há canções que merecem ser redescobertas, como as de atmosfera soul, como “África” (Gil Gérson/ César Rossini), “Cartão vermelho” (do recém-falecido Renato Barros e Clarice Pinto) e “Ninguém tem culpa” (Júnior Mendes/ Sandra de Sá), e a pop latina “Calibre grosso” (Efson/ Odibar).

Uma das grandes curiosidades deste álbum é a participação, a princípio inusitada, do grupo Titãs. De tribos musicais distintas, ela do soul e eles do rock, juntos gravaram o rock inédito “Tempo”, um presente de Arnaldo Antunes e Paulo Miklos. “Costumo dizer que faço funk’n’roll e rock and soul. Na verdade, eu era colada com os Titãs. Quando eles vinham de São Paulo para o Rio eu ficava com eles, e vice-versa”, diz, afirmando que tinha ótima relação com diversos roqueiros da época.

Do romântico-popular ao pop vanguardista

O álbum seguinte, “Sandra!” (1990), além de ser talvez seu melhor e mais eclético trabalho, foi também uma das motivações e, digamos, o “padrinho” deste lançamento no streaming. “Este disco é o culpado de toda essa reedição, brother! Eu liguei para o Paulo Junqueiro (presidente da Sony Music Brasil) e disse: ‘Quero relançar este álbum porque as pessoas pouco o conhecem e é uma das coisas mais fortes que já fiz na minha vida. Esse encontro de Nelsinho ‘negão’ Motta (na produção) com o Guto Graça Mello (na direção musical) saiu faísca”, elogia. “Apesar de todos os meus discos serem diversificados, este álbum acentua isso tudo. Na época, estava sufocada, precisando me renovar e pedi isso à gravadora. Não chegou a ser um estouro quanto os outros porque eu, Guto e Nelsinho fomos mais ousados que o mercado”, acredita ela, que, no entanto, emplacou a balada “Quem é você”, versão de Motta para “Love Will lead you back” (Diane Warren), originalmente gravada por Taylor Dayne, cuja versão na voz de Sandra entrou na trilha da novela “Mico preto”.

Mas “Sandra!” (1990) ia muito além da balada “Quem é você”. Para começar resgatava duas pérolas do soulman Cassiano – “Cinzas” e “Slogan”, esta com luxuosa participação de Djavan e Marina Lima, logo na abertura. “Uma vez, o Cassiano me disse que o mais importante da música você não ouve. Só fui entender isso uns 25 anos mais tarde. Na verdade, o sentimento puro de fazer as coisas é o que importa”, analisa. Além dessas, havia mais recriações, como a do clássico “Charles, Anjo 45”, de Jorge Ben Jor, em versão samba-reggae, sem instrumentos de harmonia, apenas com o batuque do Olodum (“Não é fácil cantar sem harmonia e ainda mais com um suingue desses, que te leva para viajar. Uma coisa forte que a gente pega uma reta e vai. Eu estava possuída, em transe, quando gravei”, diz).

Havia ainda “Send me to the eletric chair”, um velho blues do repertório de Bessie Smith, que a lançou em 1927 (“Foi a primeira e única vez que gravei em inglês”, sublinha) e outra versão do produtor Nelson Motta para o clássico “Cry me a river”, sucesso cool de Julie London, nos anos 1950, que virou “Como um rio”. Entre as inéditas, o funk/soul “Arroxo” (Hubert/ Mu Chebabi/ Robertinho Freitas); a suingada “Mandela” (Ronaldo Barcellos/ Guto Graça Mello), a bela balada soul “Blue eyes” (outra de Ronaldo com o tecladista Jorjão Barreto), um rock explosivo de seu velho amigo Cazuza (com Renato Rocketh), “Eu quero alguém”, e uma balada de Frejat, “Imensamente só”.

O álbum seguinte, “Lucky!” (1991) é uma espécie de meio termo entre um repertório mais pop vanguardista e outro mais romântico-popular. A faixa-título, mais uma do baixista Renato Rocket, esbanjava ousadia, um funk-rap só com nomes de mulheres, num gênero que só se solidificaria anos mais tarde no mercado. Ao mesmo tempo, dividia vocais com o ídolo Tim Maia na balada “Não tem saída” (Augusto César/ Paulo Sérgio Valle) e com o roqueiro Lobão na canção “Mais do mesmo”, do Legião Urbana. Cantava “Blues da piedade” (Frejat/ Cazuza), mas também o baladão “Contrato assinado” (Chico Roque/ Paulo Sérgio Valle), maior hit do álbum, incluso na novela “De corpo e alma”, e ainda trazia de volta um grande hit internacional dos anos 60, “Can’t take my eyes off of you”, numa versão assinada por ela própria, “I love you baby”.

Exibindo boa forma, Lucas Malvacini fala da sua relação com o vegetarianismo

Modelo e ator brasileiro, Lucas Malvacini é mais uma celebridade que revelou ser 100% vegetariano. A decisão partiu do desejo de Lucas em mudar a sua rotina alimentar e a boa forma física não é a única mudança que o vegetarianismo trouxe para a sua vida.

Segundo levantamento do IBOPE, mais de 29 milhões de brasileiros não consomem nenhum tipo de carne animal, e cada mais vez mais pessoas decidem aderir a dieta não somente por amor aos bichinhos, como também pela própria saúde.

Lucas pôde perceber que alguns problemas que carregava consigo há algum tempo foram desaparecendo conforme sua adesão à dieta avançava. Se antes de ser vegetariano o ator apresentava insônia, ansiedade e até mesmo um início de calvície, alguns meses após mudar a sua alimentação sentiu uma grande melhora.

“Você se sente melhor em todo o corpo. Os problemas que me acompanhavam foram sumindo sem precisar de acompanhamento médico e remédios”, revela Lucas Malvacini. “Hoje o vegetarianismo é muito popular no Brasil e facilmente podemos encontrar restaurantes e opções variadas que, além de fazer muito bem para a saúde da gente, é muito gostoso”, completa.

O ator ficou conhecido do público em 2013, quando atuou na novela “Amor à vida”, da Rede Globo e mais recentemente na comédia “Vai que Cola”, do canal Multishow. No teatro, a sua participação na trama “O Hóspede” é lembrada pelos fãs que estão sempre atentos aos trabalhos do artista.