Tempo de Leitura: 2 Minutos

O produtor musical e compositor Hebert Neri revela os bastidores do seu processo de criação musical, utilizando a criatividade e a tecnologia como aliadas.

O músico, compositor e produtor musical Hebert Neri tem feito diversos trabalhos para TV, rádio e cinema neste sentido. Uma de suas produções mais recentes foi a música tema do filme Nada a Perder 2, intitulada ‘Forte Sou’, que estreou em todo o Brasil e também nos Estados Unidos, Europa e parte da África e Ásia. Neri foi responsável pela gravação e edição do instrumental da música, além da mixagem do tema musical, tratamento das vozes e masterização.

O produtor revelou um pouco dos bastidores de produzir trilhas sonoras para grandes projetos e do seu processo criativo e de produção. Confira:
O que é preciso para se tornar um produtor musical?

Criatividade e saber usar as ferramentas certas. Eu costumo gravar pré produções e, até mesmo produtos finais em alguns casos, fazendo uso de instrumentos de software, VST, que me dão a ideia de como aquilo vai soar com músicos de verdade em estúdio, e assim também ser capaz de expressar, para além da partitura, a todos os outros músicos o que eu preciso e espero deles.

No entanto, pensar fora da caixa e experimentar vários gêneros diferentes de música ajuda a ser um compositor e um produtor mais versátil. E versatilidade, além de agilidade para atender a prazos curtos, são das maiores habilidades para quem quer enveredar neste ramo, pois é preciso conseguir entregar um bom trabalho no espaço mais curto de tempo, além de conseguir navegar por diversos gêneros musicais.

Compor ou gravar temas musicais e trilhas sonoras é mais desafiador do que fazer músicas de outros gêneros?

Depende. Muitas vezes, como compositor ou produtor musical de trilhas sonoras, você tem um mindset diferente do que quando vai fazer arranjos para outros géneros musicais. Você precisa ser capaz de fundir sua intuição com as necessidades do projeto, além de levar a sua música a outro nível, até mesmo se reinventar, usar sons e recursos que tenham conexão com aquilo que está sendo transmitido pela personagem ou pela obra em geral. O bom produtor musical e o bom compositor sabem quando e como fazer uso dos elementos, sejam instrumentos, tecnologias ou sons específicos.

Quais são as ferramentas que mais usa para gravar e compor trilhas sonoras?
Hoje uso muito softwares para dar vida a sons que antes só existiam na minha imaginação, na minha cabeça. Uso dezenas de ferramentas, mas posso citar algumas que são mais relevantes, como o Omnisphere, o Kontakt e bibliotecas como a Spitfire BBC Orchestra, Red Pianos Black Knob, Sustain Pads (IBN Samples), Alchemy e RetroSyn (Apple), Vienna Orchestra, Philarmonik e softwares como o Sylenth1 e o Serum.

Share.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: