Mari Clei Araújo dá dicas de como criar seu currículo evitando os erros mais comuns

Divulgação

Criado em 1482, o currículo é usado como uma apresentação para quem está em busca de uma nova oportunidade de emprego. E para aqueles que tenham dificuldades em fazê-lo, a diretora da MC Coaching & Consultoria, Mari Clei Araújo, indica alguns erros e afins importante para a elaboração deste documento. Confira:

Quais são os maiores erros encontrados em um currículo?

Mari: Formato do currículo, recebemos muitos currículos com fontes diferentes, lay-out não adequado, currículos longos com quatro ou cinco folhas. Além disso, muitos currículos são descartados por não estarem adaptados ao perfil da vaga. Exemplo: um currículo de Secretaria enviado para o cargo de Coordenador.

Para uma pessoa que está iniciando na área profissional e não tem muita experiência, quais dicas daria para a elaboração do currículo?

Mari: Costumo separar o formato do curriculo em: iniciante, operacional, administrativo e executivo.  Para cada um temos uma necessidade específica, mas, antes de tudo, o candidato deve ler atentamente o que a vaga solicita. Para o candidato iniciante, importante salientar cursos que são de relevância, idiomas, intercâmbios realizados, projetos da faculdade de destaque, se está cursando a graduação, quando  finaliza ou em que semestre se encontra. Importante colocar o endereço com CEP, para vagas iniciais na empresa, este fator é importante.

Pixabay

Por que fazer um currículo diferente para cada vaga disputada?

Mari: Todo currículo deve ser claro com as informações essenciais para a vaga que o candidato está concorrendo, porém, se você colocar muitas informações, ele pode não ficar atrativo para o recrutador. Atualmente, queremos informações mais precisas, o menos é mais, afinal de contas não devemos esquecer que você estará concorrendo em um primeiro momento com uma pilha de papeis ou uma fila online, quanto mais preciso nas informações você for, melhor. É importante você já começar se destacando nesta etapa.     

É obrigatório colocar foto? E como ela deve ser para não ser taxada de inadequada?

Mari: Não é obrigatório. E dependendo da foto que o candidato colocar, pode sim depor contra ele. Importante salientar que, ao colocar a foto, que seja uma foto com de acordo com seu perfil profissional: de preferência roupa social, fundo mais claro, perfil sozinho (não mande uma foto que você cortou porque estava com alguém). No caso de colocar uma foto profissional adequada, isso pode contar como um ponto positivo a mais no seu currículo, mas muita atenção neste quesito. Cuide também das postagens que você coloca nas mídias sociais. Nem sempre é bem visto pelo recrutador postagens extremas de política e religião, por exemplo. Fotos e postagens direcionam para a sua imagem profissional, portanto é importante sempre estar atento a imagem que você quer passar para seu futuro empregador.

Divulgação

Quais são as informações mais importantes de colocar em seu currículo?

Mari: Dados pessoais: nome, idade, endereço, telefone, email, LinkedIn, estado civil. Objetivo: qual o cargo desejado ou área que pretende atuar. Resumo das qualificações: manter informações relevantes para o cargo que você está concorrendo. Histórico profissional: relacionar empresas que você passou. Formação acadêmica. Cursos extracurriculares/idiomas/certificações. Realizações: se houver algum projeto ou ação ao qual você contribuiu para o crescimento/expansão ou redução de custos é importante mencionar. Normalmente este item é colocado para cargos mais estratégicos. 

Como o currículo foi criado? 

Mari: O “currículo vitae“, que traduzido quer dizer trajetória de vida, mudou drasticamente ao longo das centenas de anos que passaram desde que Leonardo De Vinci criou o primeiro currículo oficial em 1482. Originalmente, o CV era usado como um tipo de carta de apresentação, agora é a parte mais importante de um processo de recrutamento.
1482 – Leonardo De Vinci escreve o primeiro currículo profissional.
A Era Digital
1970 – Máquinas processadoras começam a deixar o currículo mais profissional e mais “vendedor”
1980 – Os primeiros portfólios começam a ser gravados e utilizados. Um boom de livros sobre construção de currículos e aconselhamento de carreira acontece.
Internet
1995 – E-mail é a novidade e o jeito mais legal de se enviar o currículo.
Web 2.0
2003 – Surge o LinkedIn.
Surgem os vídeos currículos
2006 – Vídeos currículos começam a aparecer e estudantes do ensino médio começam a enviá-los para universidades.
2007 – Com o sucesso do Youtube, os vídeos currículos se espalham pela internet
O Futuro
2008 – Entram em cena os currículos nas mídias sociais. LinkedIn domina o mercado de currículos online e networking profissional. Preocupar-se em ter uma marca pessoal e com as palavras-chave torna-se uma realidade. Alguns empregadores começam a querer conhecer melhor os futuros possíveis empregados fazendo buscas através do Google.
Hoje – São incluídos nos currículos o link do perfil ou da página pessoal. Agora são mais curtos e é importante se preocupar com o visual. Ter um currículo digital ou fazer um Infográfico começa a virar tendência em algumas áreas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s