Amor à Distância: Como está o Dia das Mães em época de Coronavírus

Crédito|Pixabay

O dia das mães comemorado no dia 10 de maio, será este ano um pouco diferente para uma parte da população. Por conta do novo coronavírus, alguns filhos acabam não podendo estar juntos fisicamente de suas figuras maternas.

Juntos ou separados, mãe é sinônimo de orgulho, assim como descreve em enquete, Júnia Stéfane  sobre sua mãe Luciene Belém – “Minha mãe é uma guerreira. Sou orgulhosa por Deus ter me presenteado ela como minha mãe. Só tenho a agradecer, é o meu maior tesouro”.

Uma forma de amenizar o distanciamento é utilizar dicas simples encontradas na internet, como por exemplo, um almoço em conjunto de forma virtual. A refeição consiste em mãe e filhos comprarem o mesmo pedido em um delivery igual e na hora que a comida chegar, realizar uma chamada em vídeo e almoçarem juntos. A criatividade e o amor trabalham em conjunto para juntos as mães e os filhos possam aliviar a saudade, principalmente nesse dia tão especial.

Existem vários tipos de mães e filhos, alguns tem muita convivência, outros possuem uma relação mais afastada, e outras vezes simplesmente é “amor e ódio”, como diz JDC de 19 anos. Para Paula Soares de 35 anos, o ponto chave dessa amizade é ser verdadeira, e com a Francis Gabriella muitas coisas vem somando: “Muito boa, muito amor e companheirismo.”.

Longe porém próximos:

Apesar dos efeitos do isolamento social, 90,9% dos filhos que participaram de nossa pesquisa confirmaram que irão passar a data junto com suas mães, como é o caso da Júlia Primo de 24 anos, que considera a sua relação ótima.

Infelizmente o tempo em nossas agendas pode acabar enrolando um pouco a aproximação como é o caso de Flávio Nehrer de 58 anos com a mãe Lygia Maria, que mesmo com muito carinho podem acabar acontecendo alguns sumiços por parte do filho. Aproximadamente 9,1% de nossos entrevistados não poderão passar a comemoração juntos esse ano, e em relação às mães, 28,6% confirmaram que passarão o dia apenas com alguns dos filhos, como é o caso de Selma Braga de 63 anos, que possui 3 filhos e diz que a maternidade mudou sua vida para melhor. Tem mãe que até abriu mão dos sonhos e da faculdade para poder cuidar dos filhos.

A maternidade parece realmente mudar a vida das pessoas, Eliane Souza de 36 anos, por exemplo, mudou os seus conceitos: “Estamos sempre preocupadas, queremos educar, proteger, guardar de todo mal. E mais uma coisa o nosso sono nunca mais é o mesmo”.

Crédito|Pixabay

Mãe e filha Jarvis:

Apesar da mãe ser uma figura essencial na vida dos filhos, essa comemoração não é tão antiga assim como podemos imaginar. O segundo domingo de maio se tornou uma homenagem apenas no começo do século XX, tendo suas origens nos Estados Unidos. A celebração moderna não é semelhante à realizada antigamente durante os festivais. Nesse dia, por exemplo, os gregos celebravam Reia, a mãe dos deuses. A criação desse dia foi em homenagem à Ann Jarvis, em que seu falecimento em maio de 1905 afetou muito sua filha, que anos depois decidiu criar uma data comemorativa em sua homenagem. O trabalho de Anna Jarvis fez um memorial em maio de 1908, se tornando o primeiro dia das mães oficial.

Adoção:

Todo filho é filho, e a adoção é considerado um dos maiores atos de amor que os pais podem fazer para os filhos. O difícil do Brasil é muitas vezes a parte burocrática e financeira envolvida, porém esse gesto pode ajudar a realizar o sonho de milhões de crianças. 

Desde 1988, esse ato se tornou uma medida protetiva para a criança e o adolescente, porém para as mães se tornou um sinal de amor incondicional. Das nossas entrevistadas, cerca de 28,6% possuem filhos adotados, e 80% delas já pensou em passar por essa experiência, porém 40% sentiram dificuldades durante o processo.

Amor de Mãe

Uma frase encontrada na internet com autor desconhecido, pode ser um belo resumo sobre o que é ser mãe e como elas são especiais na vida.

“Ao me tornar mãe, achei que o período mais complicado seria o da gravidez. Ao ter o meu filho, achei que eu teria um trabalhão enquanto ele fosse um bebê. Ao passar à infância, compreendi que aquela era uma fase muito complicada, mais difícil do que as outras.Na adolescência, eu tive a certeza que essa fase me enlouqueceria, até que vi minha procriação se tornar adulto e se afastar fisicamente de mim. Aí entendi que sempre haverá uma fase difícil a enfrentar quando se é mãe, mas em todas, o amor e as felicidades estarão presentes”.

Autores: Andrezza Barros e Luca Moreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s